Alugando um TSI na Itália

roma-aerea-thinkstock-178377016
Vista aérea de Roma, Itália

E aí, Gearheads de Plantão! Hoje iremos voltar a falar sobre carros alugados. Como dissemos no primeiro post, o melhor, mais rápido e mais resistente carro de todos os tempos sempre foi e sempre será um carro de aluguel!

areoportociam

Dessa vez iremos viajar um pouco, mais precisamente para o Aeroporto di Ciampino, em Roma, na Itália. Nós alugamos uma macchina da noleggio (carro de aluguel), no país onde fazer uma coxinha com a mão e chacoalhar para frente e para trás resolvem 90% dos problemas (ou os pioram consideravelmente rs).

Para início de conversa, o jeito que achamos o carro foi através do site da própria companhia área e o que procuramos foi o carro mais barato que coubessem as malas e o carro escolhido foi… (que rufem os tambores!!!) GOOD NEWS, IT IS A DANCIA SANDERO! Um Volkswagen Polo TSI!!! É pessoal, a sigla TSI cresceu os olhos quando os vi, brilhando naquele plástico cromado na tampa traseira…

IMG_7391.JPG
O monstro! Só esperando pra levar a próxima benga…

Antes de tudo, a primeira coisa que eu fiz e os aconselho a fazer: Filmei o carro todo. Todos os ralados, um amassado fenomenal nas portas do lado do motorista (em um carro com menos de 6 mil quilômetros rodados), abri o porta-malas, que estava sem pneu de estepe por sinal, e mostrei um relógio no vídeo, para mostrar quando foi feito. Me chamem de louco, digam que gastei meu tempo. Porém, quando se trata de locadoras desconhecidas e que cobram mais barato pelo mesmo produto que outras, o melhor que você faz é se prevenir.

Saindo do Aeroporto, pegamos a estrada sentido centro de Roma e, sinceramente, fiquei muito decepcionado com o carro, ele não andava e o turbo lag era monstruoso! No começo jurava que era algo bloqueando a borboleta de abrir tudo, ou algum sistema bloqueando a potência máxima do carro, afinal era um carro alugado de uma empresa que nunca tinha se quer ouvido falar. Achei que fosse um 1.4 TSI, ó vida, que doce engano eu tive. Na verdade era um TSI 1.2 Bluemotion, com 90 pocotós germânicos. Que vacilo, que tristeza! Mas por ser um carro alugado, logo fizemos ele andar, não é mesmo? E apesar disso, o carro era bem completo para conforto, estávamos ok!

img_0397
O sofredor e a bella estrada italiana rodeada de neve

O trânsito de Roma não foi fácil! O vosso escritor aqui, mora numa pequena cidade do interior e pega estrada todos os dias que se quer tem tráfico pesado. Além do mais, os motoristas aqui são muito respeitosos. Dito isso, voltemos a Roma. Para os leitores de São Paulo, nos quais pegam trânsito todo santo dia, devem pensar que sabem o que é trânsito, mas negativo! O trânsito de Roma foi, em meu ponto de vista, 10 vezes pior do que qualquer trânsito pesado e caótico que já peguei no centro de São Paulo!

O Polinho da noleggio era equipado com sensores de presença na frente e atrás e lhes posso dizer uma coisa: nunca ouvi tanto PIIIIII na minha vida! Uma rua com 2 faixas tinham no minimo quatro carros pareados e algumas motos também. Faixas não eram respeitadas, na hora do rush tudo virou caos, semáforos não eram respeitados, carros te empurrando, buzinadas, ninguém respeitando preferências! Não foi fácil, mas foi divertido! Se estivesse com meu carro, não teria entrado em espaços que entrei com o destemido Polinho!

img_0371
Com essa vista, até o sofrimento do 1.2 foi aceitável

Viajamos cerca de mil quilômetros com esse carro, passamos a maioria do tempo em estrada depois de passear um pouco em Roma e no Vaticano. A maioria do trajeto foi feita com o “piloto automático” ligado. O conforto de descansar o pé em longas estradas de faixa dupla na Itália, com o som ligado no Bluetooth do celular, foram horas prazerosas no volante.

IMG_7320.JPG
Vaticano e seu Prius de luxo

Na hora de voltar, olhei o contrato e vi que se caso o veículo estivesse sujo, seria cobrado uma taxa abusiva de 300 euros para a limpeza do tal. O que fizemos? Fizemos o que qualquer um faria com o próprio carro (só que não), fomos em uma máquina de lavar carros automática! Aquelas que mais riscam o carro do que propriamente lavar. Preocupado? Nem um pouco, consciência limpa e carro também!

Um erro nosso na hora de devolver o carro foi esquecer de abastecer, pois o posto mais perto do Aeroporto di Fiumicino ficava à 18 km para trás e resolvemos entregar assim mesmo. Enchemos o tanque uma vez com 50 euros do E ao F, porém eles nos cobraram 120 euros por devolver o carro com 1/4 do tanque. Infelizmente nesta foi erro nosso e não podíamos fazer em relação a isso, apenas aceitar a derrota. Além disso não tivemos problemas algum com o Polo, que foi entregue com mais de 7 mil km rodados.

Aluguel de carros pode sair caro mas, caso for planejado, pode ser mais econômico do que pegar outras formas de transporte durante sua estadia, aonde quer que esteja. Caso você tenha histórias com carros alugados, boas, ruins, engraçadas ou terríveis, conte para nós na caixa de comentários ou por e-mail. Esperamos por vocês!