Este é o sistema de placas na Irlanda (e porque ele faz muito sentido)

A maioria de nós, GearHeads, sabemos que a União Européia usa um sistema integrado de licenças de carro. Ou seja, as placas por toda a Europa tem as mesmas características. Com uma faixa azul no canto esquerdo da placa, o símbolo da UE e as letras de identificação do país, a parte da numeração muda de país para país.

Isso foi inicialmente feito pela Irlanda, Portugal e Alemanha, mas posteriormente passada para todos os países da união num acordo feito pela Convenção de Viena de 1968.

Mas o porquê da Irlanda ter o melhor sistema de licença de todos, ó, caro escritor? Pois então, aqui vos digo.

Vamos começar com esse lindo Vauxhall Astra, diesel.

capture
Só eu acho esse coupe melhor que os GM no Brasil?

Essa licença vem do Reino Unido, distinguível pelo GB dentro da faixa azul da licença. Porém, o resto é díficil de compreender até para quem mora e convive com esse sistema. Pelas letras e números você poderia distinguir o ano de registro do veículo, porém precisa de um certo conhecimento.

Agora, com um carro de licença irlandesa (vale ressaltar que a Irlanda que digo, de capital Dublin, não pertence ao Reino Unido, ao contrário da Irlanda do Norte, de capital Belfast que sim, é o quintal da Rainha).

capture2
Lindona porém… 318. Preciso falar?

Agora essa licença irlandesa (IRL) parece complicada, mas vamos lá:

  • Os dois primeiros dígitos são o ano do veículo, que nesse caso seria 2004;
  • As letras ou letra, nesse caso significa o estado em que foi registrada, nesse caso D significa Dublin;
  • A parte final cheia de números é a parte ordinal da contagem de carros vendidos nesse estado. Por exemplo, o 77766 significa que ele foi o 77 milésimo septingentésimo sexagésimo sexto veículo vendido em Dublin.

Simples não? Ao olhar qualquer carro estacionado na rua, você facilmente sabe da onde veio, e de que ano é.

Porém nem tudo era tão bom o quanto parece. Por mostrar o ano no registro, o que acontecia nas vendedoras era que no começo do ano, as pessoas se enfileiram para comprar o carro do ano, mas depois dos primeiros meses do ano, ninguém mais comprava nada. Na hora de vender um carro comprado em 2006, em Janeiro ou em Dezembro não faziam diferença. Quem comprou em Janeiro, não perdia dinheiro, pois usou o ano inteiro e vende pelo mesmo valor de quem comprou em Dezembro. Mesmo o carro de Dezembro sendo mais novo.

Carros novos não eram vendidos pelo maior período do ano, desfazendo empregos e esvaziando o mercado de carros usados. Tudo isso criava uma bola de neve que atrapalhava todo o mercado. A partir de 2013 entrou uma lei diferente na qual melhorou em muito o mercado de veículos novos.

Do início de 2013 para frente, as licenças mudaram para 131 no caso de veículos vendidos entre Janeiro e Junho e 132 para veículos vendidos de Julho a Dezembro. Essa simples mudança implementada sugere que empregos serão mantidos, pois mais pessoas irão comprar carros novos durante o decorrer do ano, beneficiando a economia. Carros vendidos na segunda metade do ano, irão valer mais do que carros vendidos no começo do ano (no qual não ocorria), dentre outras melhorias na qual posso falar em outro texto.

capture3
DAT ASS!

Por exemplo essa tomadora de bengas movida a diesel. Uma 320d, 2014 vendida durante o primeiro período do ano, de Waterford, de número ordinal 2204.

O que vocês acham desse estilo de placa? Melhor do que a do Brasil? Melhor do que a futura licença integrada do Mercosul? Comente sua opinião!