Lamborghini Huracán quebra o recorde do 918 Spyder em Nürburgring

Nós já sabíamos que a Lamborghini estaria testando o novo Huracán Performante, sucessor da Gallardo Performante, no Inferno Verde:

Soubemos recentemente também, que o novo supercarro da companhia teria sistemas de aerodinâmica ativa para melhorar o downforce, aumentando a aderência:

Você lembra o que estava fazendo no dia 16 de maio de 2015? Provável que não, mas o Sr. Marco Mapelli com certeza lembra. Ele estava entrando para a história, mostrando que os motores aspirados e sem qualquer auxílio de motores elétricos ainda têm muita lenha a queimar:

E hoje, a Lamborghini resolveu mostrar seu novo recorde ao mundo com o Huracán Performante, novamente sob o comando do piloto Marco Mapelli. A volta, que foi gravada no dia 5 de outubro de 2016, só foi ao ar na tarde deste 1º de março. Veja abaixo:

Estamos falando de 6’52″01. 6 minutos, 52 segundos e 1 centésimo. É um temporal, colocando 5 segundos na conta do Porsche 918 Spyder e 7 segundos em cima do irmão mais velho, o Aventador SV (que por sua vez já tinha feito um tempo impressionante para um carro, que mesmo sendo super usa um motor aspirado).

landscape-1487707536-download-15
Huracán Performante ainda com camuflagem pesada

Mas qual a mágica do Lamborghini Huracán Performante para fazer um tempo tão devastador no traçado norte de Nürburgring? Ainda não está bem claro, já que a fábrica não divulgou quase nada sobre a versão especial. Até o momento, os boatos são que V10 foi melhorado para gerar cerca de 640 cv e a aerodinâmica foi revista com o sistema “Aerodynamica Lamborghini Activa” adotado no modelo. Com isso, os flaps mudam de posição a todo momento para aumentar a velocidade em retas e melhorar o downforce em curvas. Desta forma, com a atuação de um motor elétrico, as entradas de ar se abrem para reduzir o arrasto ou se fecham quando é necessário aumentar o downforce.

lamborghini-gallardo-superleggera-14
Gallardo Superleggera

A justificativa para andar mais que o Aventador, que é o carro topo de linha da marca italiana, está no peso menor e no câmbio de dupla embreagem (o grandalhão de Sant’Agata Bolognese usa uma caixa automática com conversor de torque e 8 marchas). Mas será que isso não poderia canibalizar o modelo mais caro? E aí, o que vocês acham que a Lamborghini irá fazer?

001-aventador-sv-ftq-driving
Aventador SV, que fez menos de 7 minutos no Green Hell

Ao menos já nos foi confirmado o nome do modelo, que ainda não sabíamos se seria Superleggera (de “super leve” em italiano) ou Performante (de… eu preciso traduzir este?). Lembrando que estes dois nomes são reservados para o motor V10 em suas versões mais radicais (no caso, só o Gallardo até agora), enquanto que os automóveis equipados com a usina de 12 cilindros utilizam o nome Super Veloce (vide Miura SV, Diablo SV, Murciélago SV e Aventador SV).

diablo_sv_img08
Diablo SV, onde ninguém consegue perceber que é uma SV

E ainda mais: O Gallardo Superleggera era a versão de teto rígido com alívio de peso, enquanto que o Gallardo Spyder Performante foi uma versão conversível, como o próprio nome deixa claro. Será que veremos uma Huracán conversível como o carro mais rápido de Nürburgring?

2011-lamborghini-gallardo-lp570-4-spyder-performante-front-three-quarter-in-motion
Gallardo Spyder Performante

Quem diria que o nome “quarta feira de cinzas” seria tão apropriado em Stuttgart.