Movimentos não governamentais para um trânsito melhor

Em qualquer lugar do Brasil, existem aquelas pessoas nas quais se acham a última bolacha do pacote, os seres especiais nos quais nós temos que dividir a terra. Essas são as pessoas que estavam trafegando pelo acostamento nesse trânsito de carnaval, aquele no qual para “rapidinho” na vaga preferencial para fazer algo de “extrema importância”.

11012168_1037758836267031_7337802474819963343_n-800x494
Viralizou nas redes sociais, mas foi apenas uma vez

Em qualquer lugar do mundo, iremos nos debater com pessoas dessa índole. Alguns lugares menos, alguns lugares mais. Isso depende tanto da cultura do país, quanto da criação familiar dentro de casa. Mas estamos aqui para falar de carro, não é mesmo?

Como se não bastassem os vídeos que recebemos daquelas câmeras instaladas nos carros, algo que parece ser um grande problema na URSS Rússia são as pessoas que dirigem na calçada (sim, no meio de pedestres!) para escapar do trânsito. Isso acontece, pois as cidades foram construídas numa época em que o comunismo prevalecia e apenas alguns poucos poderiam ter carros. Hoje, numa Rússia pós-comunismo, carros são mais baratos e a maioria da população mudou-se para as capitais, tornando o trânsito um tremendo caos. No Brasil não sofremos desse problema de carros andando pelas calçadas (se você, caro leitor, já viu alguém transitando pela calçada, por favor se manifeste), tanto que a grande maioria não comporta o tamanho de um carro.

O movimento russo “Stop a Douchebag”, que em tradução livre significa “Pare um idiota”, surgiu nos meados de 2010. Tentando barrar esse vício que consome o país de diversas formas, bloqueando as calçadas com o próprio corpo, filmando e colando adesivos no para-brisa que são mega chatos de remover com os dizeres “Cuspo em todos, dirijo por onde eu quero” na língua do CS:GO em russo.

O problema é que a índole das pessoas que cometem esse ato grave é, na maioria das vezes, agressiva, querendo arrumar MUITA TRETA! E os episódios no YouTube acabam sempre com ameaças, bastões de basebol, armas e muita porrada na cara (e é isso que nos serve de entretenimento aprendizado). Alguns motoristas infratores até chamam a polícia e tentam prestar queixas por causa dos adesivos postos em seus carros, até quando eles escutam que são os errados e que eles que terão que ser multados. Quando isso acontece, os super malandrões, abaixam a cabeça, pedem desculpas a mando da polícia e saem da calçada sem mais delongas.

Alguns decretos os fizeram parar por um tempo, tornando o movimento ilegal (o que é um completo absurdo já que eles estão lutando por um trânsito mais seguro) porém passou se um período e o agente da KGB presidente Putin os abençoou, tornando o movimento algo que a polícia não se intrometa e nem atrapalhe. De um grupo de 4 jovens, passou-se para centenas de pessoas ajudando e fazendo parte do “Stop a Douchebag”.

Na Rússia já vem surtindo efeito positivo mas vocês acham que isso poderia acontecer no Brasil? Pessoas nas quais se unem para um bem maior da população?