O BMW i3 não parece tão chato fazendo drift

O BMW i3 é um compacto assumidamente metropolitano. O motor elétrico produz 170 cv e 25,5 kgfm, ambos a 1 rpm, e ainda há um motor bicilíndrico na traseira do carro, servindo de gerador.

cq5dam-resized-img-1680-large-time1462167308172
Fala sério, você imagina um carro desses correndo um rali?

Com foco na autonomia, realmente não é esperado ver um carro praticando qualquer modalidade do automobilismo. Não até agora.

O piloto de rali Rauno Aaltonen, que, obviamente, é finlandês, testou o carro de um modo menos usual do que o público alvo e ainda teceu alguns elogios. “O BMW i3 é um excelente veículo. Uma vez que você o entende, é uma grande diversão e você sente como se estivesse num carro de 1000 cavalos.” Rauno já ganhou diversos ralis como o Safari Rally, o Rally da Grã-Bretanha, o Rally de Monte Carlo e ele ainda afirma que “ter a energia máxima disponível desde 0 rotações é vital para o drift.”

De certo que não é o vídeo mais empolgante de todos, mas é uma amostra do potencial que os carros elétricos podem trazer no futuro. Mas se realmente você não ficou convencido, que tal uma outra BMW, também elétrica, fazendo drift?

Aqui a coisa ficou bem mais radical: a BMW E36 da preparadora EV West é um monstro feito para devorar asfalto. Estamos falando de 115 kgfm! É o suficiente para alterar o sentido de rotação da terra! O grande incômodo de fato é ver um burnout, ouvir o barulho dos pneus, mas não ouvir o ronco do motor. Será que iremos nos acostumar com isso?