High 5 – Os 5 jogos de corrida mais icônicos de todos os tempos

Fazer uma lista definindo os melhores itens de uma determinada categoria é sempre complicado. Nessa classificação é difícil largar o gosto pessoal, as influências externas e até mesmo a nostalgia. Talvez eu seja um herege em querer escrever sobre assunto tão polêmico, mas é algo que queria debater com vocês. Como grande fã dos jogos de corrida, posso dizer que tenho certa experiência nesta área (não é a toa que estou escrevendo sobre a saga Need for Speed) e consigo identificar o que agrada ou não no público gamer. 

E quando eu digo jogo de corrida, eu quero dizer jogo de corrida. Não estou fazendo distinção entre simuladores e arcade. Estamos falando de jogos de corrida, pura e simplesmente. É com essa premissa que trago pra vocês os 5 jogos de corrida mais icônicos de todos os tempos.

Gran Turismo 2 – PlayStation

Não deu outra, o Gran Turismo mais icônico é o segundo, lançado em 2000 como exclusivo para o PlayStation. E como todo bom exclusivo, explorava o hardware do PS1 ao máximo. Numa época em que o armazenamento era limitado em 700 megabytes por disco, GT2 vinha em dois CDs, um com o modo carreira e o outro com o quickplay.

maxresdefault3
Como falar de GT2 e não citar o Suzuki Escudo, o carro mais rápido do jogo?

O disco de simulação contava com a carreira do piloto, desde o início com carros mais baratos e sem nenhuma habilitação (GT se tornou famoso por requirir carteira de habilitação para subir de nível), até o auge do piloto, conseguindo troféus e liberando pistas. E não é só no armazenamento que Gran Turismo 2 é superlativo, são 27 pistas disponíveis sendo que todas possuem sentido reverso opcional e 650 carros jogáveis. 650 carros. Em 2000. Usando CD. No PS1.

A música “My Favorite Game” em uma das introduções mais conhecidas dos jogos de corrida

Com 9,36 milhões de cópias vendidas em diversos mercados, GT2 só não foi o jogo mais bem vendido do console porque surgiu no fim do ciclo de vida do console: o PlayStation 2 foi lançado em 1999 e é natural que os desenvolvedores abandonassem o seu antecessor. Curiosamente, o Gran Turismo de 1998 é o jogo mais vendido do PlayStation, com 10,85 milhões de cópias distribuídas.

Need for Speed: Most Wanted – Diversas Plataformas

É difícil escolher um Need for Speed para essa lista (porque essa lista tem que ter um Need for Speed). São mais de 20 jogos, sem contar suas versões para diferentes plataformas, é impossível que um deles não tenha um brilho diferenciado. E esse brilho vem do Need for Speed: Most Wanted.

265
A BMW M3 E46 do protagonista, um dos carros mais icônicos de toda a franquia

O jogo consegue ser incrível por reunir a jogabilidade da era clássica (com suas devidas adaptações e atualizações), a personalização minuciosa dos dois Underground, a volta das perseguições policiais do Hot Pursuit e uma história matadora. A lista negra com certeza ainda está na cabeça de muitos jogadores (e tenho certeza que você se lembra da sprint do Razor). Outro destaque do jogo está na imersão do jogador, sempre em primeira pessoa nas cenas computadorizadas (que usavam atores reais, tendência que seguiu adiante na franquia).

40540_dadwdawd1443560951163
O jogo tem gráficos muito bonitos até hoje

Most Wanted se tornou um clássico, vendeu 16 milhões de cópias ao redor do globo (é o Need mais vendido de todos os tempos), esteve em diversas plataformas e recebeu uma crítica excelente. É frequentemente apontado como o melhor da franquia até hoje, e é por isso que muitos ficaram animados quando anunciaram um reboot deste jogo. Infelizmente, seu sucessor não foi nem 1/3 do que o jogo original foi.

Burnout 3: Takedown – PlayStation 2 e Xbox

Burnout é uma série mais underground se comparada às outras da lista, mas não é por isso que ela é menos divertida. Desenvolvida pela Criterion Games, subsidiária da Eletronic Arts, o foco da franquia Burnout está em bater nos seus adversários. É mais ou menos como um Mario Kart para adultos e sem os cogumelos.

152763-burnout_3_-_takedown_europe_australia_enesnlsv-9
A capa diz muito sobre o jogo

O terceiro jogo da franquia Burnout é um dos mais celebrados, pois tinha visuais a frente do seu tempo (era um dos poucos jogos que rodavam em 480p no PS2 e em 720p no Xbox), jogabilidade bem simples e carros de diversas categorias. São hatches, sedãs, caminhonetes, muscle-cars, hot-rods, superesportivos e até um monoposto de fórmula 1! O mais legal de tudo é que os carros não são licenciados, mas todos possuem o seu carisma.

A trilha sonora de Burnout 3 é espetacular

Burnout 3: Takedown inovou por trazer multiplayer local e online (em 2004 isso não era nem um pouco trivial como hoje em dia), uma jogabilidade simples porém agressiva e uma premissa básica: divertir. Não é o jogo em que você espera o melhor desempenho gráfico ou a melhor seleção de carros, mas ele entrega esses componentes com maestria. Foram 3,99 milhões de cópias vendidas, 2,68 milhões no PS2 e 1,31 milhão no Xbox, prova do sucesso absoluto do jogo que nunca foi divulgado como best-seller. Infelizmente, este foi o ponto alto da franquia que está abandonada atualmente.

Mario Kart 64 – Nintendo 64

A franquia Mario Kart é uma pérola inquestionável. Muito antes do Uno (o jogo de cartas, não o devorador de asfalto), quem destruía amizades era esse jogo aí. E a versão para Nintendo 64 é a escolhida justamente porque a partir dela todos os Mario Kart iriam suportar 4 controles. Ou seja, mais bagunça na pista! E o estilo visual em três dimensões, que seguiria na franquia até o atual Mario Kart 8, foi uma grande evolução em relação ao Super Mario Kart.

si_n64_mariokart64
Um grande clássico do Nintendo 64

As pistas ficaram maiores que o seu antecessor e todas tem elementos visuais muito fortes. O modo 150 cc, que é o mais difícil do jogo, é realmente difícil. A Rainbow Road do Mario Kart 64 é tão icônica que está disponível na seleção de pistas clássicas do Mario Kart 8, e a música é praticamente a mesma. E não podemos deixar de falar que a jogabilidade é incrível, mesmo com o formato pouco convencional do controle do N64. Mas a cereja do bolo está no modo battle. Cada jogador tinha 3 balões em seu kart e se ele fosse atingido 3 vezes, perderia o jogo. Quem nunca foi atingido por um casco verde que estava rodando aleatoriamente pela pista?

39946-mario_kart_64_europe-4
Ninguém se importa com sombras, afinal de contas…

Mario Kart 64 é um ícone porque foi o segundo jogo mais vendido do N64. E, cá entre nós, vender 9,87 milhões de unidades num videogame que não foi tão bem sucedido quanto a Nintendo esperava, é porque o jogo é bom mesmo.

Top Gear – Super Nintendo

É difícil falar de jogos de corrida icônicos e não falar de Top Gear. O primeiro jogo da franquia é um clássico inquestionável e se tornou até alvo de memes hoje em dia. O curioso disso tudo é que Top Gear é um ícone no Brasil, mas em outros países ele não é tão celebrado como aqui (perdoai essas pessoas ruins).

Já tem até Uno com escada no Top Gear!

O jogo se passa em 8 regiões do planeta, cada uma delas com 4 pistas (sendo duas delas no Brasil), todas elas com 3 níveis de dificuldades. São 4 carros selecionáveis: Ferrari Testarossa, Ferrari 288 GTO, Honda NSX e Porsche 959, também conhecidos como Vermelho, Branco, Roxo e Azul, ou Cannibal, Sidewinder, Razor e Weasel, respectivamente. O legal mesmo é que ninguém escolhia o Sidewinder, sendo que ele era o mais rápido e o que consumia menos.

url
Só porque o carro é branco, na moral…

A trilha sonora impecável, a sensação de velocidade extrema e a dificuldade acima da média, tudo isso junto e misturado num cartucho de menos de 1 megabyte, gerou um sucesso tremendo nas locadoras dos anos 90 e até mesmo 2000. E vocês sabem de onde veio a foto das telas de menu do jogo? Veio do GP de Detroit, ocorrido em 1988, onde Ayrton Senna ficou em 1º lugar e Prost em 2º.

00detroit00f34
Um circuito bastante atípico, diga-se de passagem

E agora que revelamos o mistério da sua infância, é hora de comentar aqui embaixo: qual foi o jogo de corrida que mais te marcou?