Eis que a chuva muda tudo – Pitacos F1

Desde a sexta-feira já era esperado uma corrida confusa. Sem os treinos livres devido ao mau tempo, só teríamos uma ideia da corrida na classificação, que também foi apertadíssima. Já seria praticamente impossível chutar qualquer resultado em uma corrida sem chuva e, para ajudar, antes da largada choveu bastante, fazendo com que a corrida começasse com a pista levemente molhada, todo mundo resolve largar de intermediários menos Sainz, já dá para imaginar uma corrida louca e completamente imprevisível e pelo menos no começo foi.

Hamilton acabou liderando toda a corrida, teve muita sorte ao escapar de incidentes e conseguir parar sempre na hora certa, aproveitou do safety car para tirar os pneus de chuva, pensou até em tentar fazer toda a corrida sem mais paradas, mas num momento ele estava tão confortável que resolveu parar apenas por segurança, terminando a corrida sem maiores problemas. Já Bottas não teve a mesma sorte, acabou parando nos momentos errados, chegou a ficar algumas voltas fora dos pontos e tentou se recuperar, mas os líderes estavam andando num ritmo tão rápido quanto ele, dificultando uma melhor aproximação e com isso finalizou a corrida em sexto.

Já a Ferrari errou onde a Mercedes errou na Austrália, acabou parando cedo demais e perdeu posições importantes. Na largada Vettel segurou bem o Ricciardo, porém parou cedo demais e depois teve que parar novamente, caindo para sexto, tendo que brigar com Raikkonen e as duas Red Bull. Nisso acabou ficando muito para trás e não conseguiu chegar em Hamilton a tempo, mas valeu as belas ultrapassagens, primeiro em cima do finlandês, depois em cima do australiano com muita habilidade. Já Raikkonen não fez muito a não ser atrapalhar Vettel e reclamar a corrida toda por falta de potência, em nenhum momento atacou Ricciardo com arrojo suficiente para passar e depois da parada nos boxes acabou estagnando na corrida, terminando apenas em quinto.

Em terceiro Max Verstappen deu o mesmo show que em Interlagos em 2016, mostrou mais uma vez como é bom piloto na chuva e largando da décima sexta posição veio passando todo mundo com facilidade até se colocar em segundo, vinha segurando bem até ter uma dura travada de rodas e acabou perdendo a posição para Vettel, tendo que parar na volta seguinte. No final teve uma linda disputa com Ricciardo, cheia de travadas de rodas, mas não muito efetiva, terminando com o holandês na frente.

Sainz até que acertou na estratégia ao começar a corrida com os pneus slick, caiu para último na largada, rodou, rodou e rodou mais um pouco, mas ao menos ao final da corrida conseguiu salvar alguns pontos ao terminar em sétimo. Já Kvyat não teve a mesma sorte e abandonou.

Magnussen conseguiu terminar nos pontos, num grande esforço para terminar em oitavo fazendo uma discreta, porém boa, corrida, coisa que Grosjean não conseguiu, que anda um tanto quanto inconsistente, não conseguiu se recuperar do fundo do grid e fechou apenas na décima primeira posição.

Perez e Ocon merecem honras, fechando as últimas posições nos pontos, algo notável para a equipe que tem grandes pretensões para 2017.

No mais, a Renault decepcionou, Hulkenberg e Palmer terminaram em P12 e P13 respectivamente, um início de temporada muito fraco, mas aguardemos a equipe que está investindo cada vez mais dinheiro, uma hora terá que mostrar resultados. Triste foi ver a Williams, Stroll até que conseguiu ir para o Q3 mas já bateu na primeira volta e Massa ficou no fundo do pelotão a corrida toda, até tentou beliscar uns pontos, mas o desempenho não o permitiu. Ericsson foi o último a terminar, sem muito o que falar e Giovinazzi, a quem todos elogiavam, rodou e bateu na reta assim que colocou pneus slick.

Triste foi ver a situação da McLaren, Alonso vinha lutando bravamente na sétima posição e parecia até que teria alguma chance de pontuar, porém teve uma quebra de suspensão que o impediu de seguir em frente e, ao invés de ficar abalado e sair criticando, ficou feliz por ter tido a chance de ter uma boa corrida.

Imagens por Motorsport.com