O Jeep Grand Cherokee com motor do Hellcat existe mesmo!

Depois do Menino do Acre, o Cherokee de 717 cv se tornou uma das maiores lendas da internet. Todo mundo queria saber sobre o super SUV americano destruidor de recordes. Pra você ter uma ideia, o primeiro rumor deste carro surgiu em 1º de junho de 2015, pela Motor Authority, que foi confirmado no dia 18 do mesmo mês. E desde então, parecia que o Grand Cherokee Trackhawk nunca iria aparecer. Porém, ontem (10) o carro foi revelado e nós iremos contar todas as especificações pra vocês.

2018 Jeep® Grand Cherokee Trackhawk
Finalmente!

Estamos falando de 2.433 kg que demoram apenas 3,5 segundos para chegar aos 100 km/h. O mercado americano é excelente por causa disso, se eles vêem que a concorrência intercontinental chega pesado com suas traquitanas e tecnologias de vanguarda, o bom e velho MURICA decide pegar uma caixa automática com conversor de torque, um V8 tipicamente americano e um compressor roots para simplesmente triturar qualquer tipo de asfalto à frente.

jeep_grand_cherokee_trackhawk_2
Interior vermelho: clara inspiração nos FIAT Sporting!

Trata-se de um bloco deslocando 6,2 litros com um compressor mecânico de 2,4 litros da IHI, gerando 717 cv e 89,8 kgfm. É uma usina que admite 30.000 litros de ar por minuto! E o motor não foi “capado” ao chegar no SUV, muito pelo contrário: o sistema de tração integral do Jeep consegue lidar com toda a força tão bem que o 0 a 100 km/h é cumprido em apenas 3,5 segundos. São 3,6 no Challenger Hellcat, que pesa 415 kg a menos!

jeep_grand_cherokee_trackhawk_8
O painel de instrumentos contém somente o necessário

O Jeep perdeu os faróis de neblina para abrigar um novo intake para o motor. Outras mudanças na frente do carro se encontram escondidas pelo novo para-choque. Foi projetado um sistema de resfriamento maior, com uma bomba de maior capacidade, reservatório maior, radiador de óleo montado à frente do radiador de água (que também é novo) e mangueiras diferenciadas para suportar a maior pressão.

Cherokee 2
Tudo é configurável neste carro

Enquanto o Challenger vem com uma chave reserva para limitar a potência do veículo, o Cherokee tem um modo Valet que diminui o corte do motor para 4.000 rpm. Além disso, as trocas manuais e os modos esportivos de direção são desabilitados.

jeep_grand_cherokee_trackhawk_474
Olha a largura desses pneus

Potência não é nada sem controle, e é por isso que o carro recebeu amortecedores ativos da Bilstein, barras estabilizadoras ocas e rodas de 20 polegadas com tala 10 (!) calçadas em pneus 295/45. A suspensão é independente nos quatro cantos do carro e possui materiais em alumínio.

2018 Jeep® Grand Cherokee Trackhawk
Os bancos possuem apoios maiores, o volante tem base achatada, mas no geral é a mesma Grand Cherokee que conhecemos

O interior precisa de algum refinamento, já que os concorrentes são europeus. O carro pode ser equipado com couro no painel, couro nos bancos (na cor “Dark Ruby Red”), teto solar duplo panorâmico, telas nos encostos de cabeça, acabamento em metal escovado, o logo da versão “Trackhawk” bordado nos bancos e um sistema de som da Harman Kardon com 21 alto-falantes, sendo 2 deles subwoofers. A central multimídia é a já conhecida Uconnect da linha FCA com tela de 8,4 polegadas, e conta com diversas opções de conectividade e funções exclusivas para monitorar a performance, estreadas no Challenger Hellcat.

1998 Jeep Grand Cherokee 5.9 Limited
Um ícone dos anos 90 (e dos postos de gasolina)

Um dado curioso é que, em 1998, o Grand Cherokee Limited 5.9 de 248cv e 47,7 kgfm era o SUV mais rápido do mercado, com um V8 vindo da Dodge RAM 1500. Não parece muito tempo, mas lá se vão quase 20 anos de evolução.

Cherokee 1
Malvado? Nem…

O Grand Cherokee Trackhawk será apresentado mundialmente no Salão de Nova York. Segundo a Car and Driver americana, a expectativa é que o super-SUV seja vendido por US$ 80.000. Estaremos de olho!