High 5 – 5 carros que receberam motores de carros mais caros

A indústria automotiva nos reserva coisas curiosas. Casos de carros menores com motores de carros maiores são comuns em modelos conceituais, mas não em carros de produção. É por isso que o High 5 de hoje nos reserva as 5 pérolas automotivas que receberam motores de carro mais caros! Confiram!

Audi RS5 – V6 2.9 biturbo da Porsche Panamera

O Audi RS5 de nova geração aposentou o V8 aspirado, e ainda substituiu por um motor turbinado de mesma potência. É uma frase que consegue impactar, tanto positiva quanto negativamente, não é? E se eu te disser que o novo RS5 usa o mesmo V6 2.9 biturbo da novíssima Porsche Panamera?

audi-rs5-all-new-geneva-11
Particularmente? Prefiro o antigo.

Apresentado no Salão de Genebra deste ano (aquele em que eu escrevi feito um condenado), o novo RS5 ganhou o torque que precisava para peitar concorrentes como Mercedes C63 AMG e BMW M4. O V6 manteve os 450 cv do seu antecessor mas o torque subiu de 43,8 kgfm a 4.000 rpm para 61 kgfm a 1.900 rpm. Com isso o 0 a 100 km/h caiu de 4,6 para 3,9 segundos. A mudança de powertrain também deixou o carro 60 kg mais leve.

audi_geneva2017_08
Sai o V8, entra o V6

As rodas agora são de 19 polegadas, com aro 20 como opcional. O carro ainda ganhou eixo traseiro esterçante e o painel Virtual Cockpit da Audi, estreado no TT de 3ª geração. Outra novidade está na caixa de marcha: sai o S-Tronic de 7 velocidades e dupla embreagem, entra a tradicional ZF de 8 marchas com conversor de torque.

Fiat Stilo Abarth – Fivetec 2.4 do Fiat Marea

“Um Abarth que quebra?” Pois é. A Fiat fez isso. Se não bastasse a roda que se soltava, o Stilo agora vinha com um motor bombástico. Com bloco em ferro fundido e cabeçote em alumínio, o moderno e incompreendido 5 cilindros da Fiat possui duplo comando de válvulas e ainda conta com variador de fase na admissão, uma primazia nos anos 2000. Toda essa tecnologia gera 167 cv a 5.750 rpm e 22,8 kgfm a 3.500 rpm.

Stilo Abarth
Ahhh, essas rodas…

O câmbio é o bom e velho manual de 5 marchas e a direção é elétrica, uma grande novidade na época. Freios são a disco nas quatro rodas, sendo estes ventilados na dianteira e sólidos na traseira. As rodas opcionais de 17 polegadas são uma das mais copiadas de todos os tempos e além de tudo são forjadas (pouca gente sabe disso), garantindo menor massa não-suspensa para o veículo. O veículo, quando equipado com todos os opcionais, custava até mais que um Marea, mas vinha servido com o que tinha de melhor: computador de bordo com tela colorida, o primeiro ar-condicionado digital dual-zone vendido no país, teto solar Sky Window, 6 airbags, piloto automático e ajuste elétrico dos bancos com memória.

1781cda1
Sua alegria com este carro começa aqui e acaba aqui

Ainda existe a lenda dos três Stilo Blackmotion, modelos de final de linha e recheados com a maior quantidade possível de opcionais, que saíram com o motor 2.4 20 válvulas. Eles são identificados externamente apenas pelos emblemas nos para-lamas e, pelo que foi dito, eram carros da diretoria da Fiat.

Honda HR-V – R18A1 do Civic de 9ª geração

O pequeno SUV da Honda chegou por aqui em 2016, quando o Civic de 9ª geração ainda era vendido. Usando plataforma do Fit e conjunto motriz do Civic, o HR-V se tornou um sucesso de vendas, sendo superado apenas pelo Renegade e mesmo assim não é sempre que isso acontece.

hrv-2_0_0_0
O HR-V em sua versão Touring (podia ganhar o motor turbo também né?)

O carro se destaca pela dinâmica mais pé no chão em relação aos concorrentes, com altura do banco mais próxima do chão. Ou seja, não é nenhum esportivo mas também não é o EcoSport. No interior o chamariz fica pelo ar-condicionado com controle touchscreen, algo muito bonito de ver mas que compromete a atenção do motorista na hora da direção (com uma superfície lisa não dá pra saber o botão que você está acionando).

honda-hrv-carplace-15
Ao invés disso, sobra o R18A1 do Civic da geração anterior

O motor é o R18A1 de 140 cv a 6.300 rpm e 17,4 kgfm a 5.000 rpm, acoplado à uma transmissão CVT. Ainda existe uma versão LX, disponível com câmbio manual, mas ela é quase um mico: a saída é tão pouca que ela é só vendida para frotistas, talvez por não ter nem rodas de liga leve. Como bons GearHeads, é essa versão que recomendamos.

Renault Sandero RS – F4R do Duster

O Sandero RS é o primeiro esportivo feito pela Renault Sport fora da frança. Todo o chassi foi melhorado, recebendo pontos de solda melhores que no modelo convencional, além de um conjunto de suspensão totalmente recalibrado. Mas não adianta ter uma boa dinâmica e não ter um motor maior, não é mesmo? E é por isso que a Renault do Brasil optou por uma receita existente na sua própria casa.

sandero-r-s-22_1600x1067
O esportivo que não parece tão esportivo mas é muito esportivo (?)

O swap consiste em trazer o F4R do Duster para o cofre do popular da Renault, com suas devidas modificações. São 150 cv a 5.750 rpm e 20,9 kgfm a 4.000 rpm, com corte de giro programado em 6.200 rpm. Na Duster, temos 2 cavalos a menos, vindos na mesma faixa de giro, e o torque é idêntico. Mas é claro que o fôlego do Sandero se mostra nos 192 kg que os separam do SUV.

57582cb40e2163457509d946_mdb2479
O F4R que, em essência, equipa até o Mégane R.S.

Além do peso menor, a relação de marchas mais curta garante o fôlego extra do hatch que acelera de 0 a 100 km/h em 8 segundos e tem máxima de 202 km/h (limitada pelo câmbio, diga-se de passagem). O RS é o Sandero mais completo que tem, os únicos opcionais são a pintura metálica e as rodas de 17 polegadas (que são tão pedidas que as aro 16 são raríssimas de se ver).

Chevrolet Vectra GSi – C20XE do Calibra

O Vectra A foi vendido em terras nacionais entre 1993 e 1996, quando foi substituído pelo Vectra B. O Calibra chegou na mesma época, sempre com o motor C20XE, e não teve sucessor, por isso ele foi vendido até 1997 (ano em que vendeu apenas 2 unidades, diga-se). O Vectra nas versões GLS e CD tinha disponível o motor 2.0 Família II de 116 cv a 5.200 rpm e 17,3 kgfm a 2.800 rpm, sendo que a versão CD tinha como opcional o câmbio automático Aisin de 4 marchas. Mas o interessante mesmo era o modelo GSi.

10
Como é difícil achar uma foto decente desse carro

O C20XE era um motor moderno, contando com primazias como injeção multiponto sequencial e válvulas refrigeradas a sódio. Com duplo comando de válvulas no cabeçote e deslocando 2 litros, gera 150 cv a 6.000 rpm e 20 kgfm a 4.600 rpm. É um motor que tem apetite por giros altos, caracterizado pelo diâmetro dos pistões igual ao seu curso (86 mm).

74095596-7f0b-491a-9c15-4d927cbc0b89-630x386
O lendário C20XE

É bom aproveitar enquanto os Vectra GSi não alcançam um patamar de preço absurdo, este carro é uma boa opção de compra pra quem quer um sedã esportivo girador mas não pode pagar mais de 40 mil por um Civic Si em bom estado.

1200px-opel_calibra
Ou tu pode juntar mais e caçar um desses

Gostaram da nossa lista? Qual outro carro você lembra de ter recebido o motor de um carro mais caro e chegou na linha de produção? Conte pra nós aqui nos comentários!