Eis que o calor do deserto esquenta o campeonato – Pitacos F1

Durante todo o final de semana a Ferrari vinha se mostrando muito forte, dominou os treinos livres de sexta-feira, no treino do sábado mesmo não liderando a tabela de tempos ela se mostrou muito forte, porém na hora da classificação a Mercedes novamente levou a pole, dessa vez com uma boa surpresa quando Bottas conquistou sua primeira pole na carreira. A chance para vitória estava logo ali, mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Com um carro muito bom em ritmo de corrida, Vettel não demorou para conseguir o topo.

A largada foi limpa. Logo na primeira curva, Vettel imbicou para tomar a segunda posição de Hamilton e começar seu encalço atrás de Bottas e, mesmo com um ritmo melhor, o alemão não conseguiu passar, teve que adiantar sua parada nos boxes para tentar voltar à frente, uma estratégia muito boa que contou ainda com a ajuda de um safety-car virtual e real. O virtual foi acionado quando Verstappen teve problemas nos freios após sua parada e pouco depois Sainz acerta a lateral do carro de Stroll na primeira curva, fazendo com que a direção de prova tenha que acionar o safety-car em pista. Como boa parte dos pilotos resolveram parar, Vettel tomou a ponta e não saiu mais de lá. Raikkonen acabou terminando na quarta colocação, além de reclamar durante toda a corrida mal chegou a incomodar os líderes, se continuar assim vai ser difícil a Ferrari conseguir levar o mundial de construtores.

Utilizando do jogo de equipe, Hamilton terminou na segunda colocação, e ainda precisou pagar 5 segundos de punição por ter atrapalhado Ricciardo na hora de parar quando estavam sob safety-car, para que os dois carros da Mercedes pudessem parar simultaneamente sem perder muito tempo, o que na verdade acabou ficando elas por elas, pois mesmo se tivesse ficado parado esperando a troca de Valtteri, o tempo perdido seria o mesmo. Bottas, mesmo largando da primeira posição, não conseguir fazer frente à Vettel e teve que ouvir pelo rádio que teria que abrir espaço para que Hamilton terminasse na segunda posição.

Ricciardo na quinta posição mostra onde a Red Bull está, também não conseguiu fazer frente à Ferrari e Mercedes e teve que se contentar com alguns pontos salvos no final da corrida. Verstappen até que vinha fazendo uma boa corrida, mas após a troca de pneus teve algum problema em seus freios que acabaram o levando direto para o muro e o piloto teve de abandonar. Talvez seja algum karma depois de criticar Massa na classificação.

Falando em Felipe Massa, o piloto brasileiro conseguiu salvar alguns pontos para a Williams, após Stroll se envolver novamente em um acidente, dessa vez com Sainz, e ter de abandonar a corrida. Massa ao menos conseguiu terminar na frente das Force India, mas Stroll precisa parar de se envolver em tantos incidentes, já é a terceira corrida que o canadense não termina e, por mais que esteja trazendo um caminhão de dinheiro para a Williams, o time precisa colocar na balança se vale a pena continuar com o piloto pois a cada corrida é um novo carro.

A Force India novamente pontua com seus dois pilotos, com Pérez na sétima posição e Ocon na décima, é um ótimo resultado e, continuando dessa maneira, não vai ser difícil para o time fechar o mundial na quarta colocação. Tanto Pérez quanto Ocon se mostram ótimos pilotos para a Force India, são pilotos consistentes que não se metem em confusão e sabem segurar as posições quando necessário, sem tomar atitudes desnecessárias que podem prejudicar suas corridas.

Romain Grosjean finalmente conseguiu pontuar em 2017. O piloto francês que teve problemas nas últimas corridas mostrou que a Haas vem forte, infelizmente ainda não está no nível de Williams ou Force India mas o carro é bem nascido, precisam ser apenas mais consistentes para bater a Renault, missão que não deve e nem pode ser difícil. Magnussen infelizmente não terminou a corrida, mostrando que o carro ainda precisa de um pouco mais de confiabilidade.

Dos que pontuaram só falta falar de Hulkenberg, o alemão fez uma boa corrida, conseguindo terminar na nona posição, um resultado ainda fraco e o pior é que a primeira vez que Hulk pontua este ano. O carro da Renault, mesmo construído do zero após um 2016 terrível, ainda paga o preço de um melhor desenvolvimento e o motor ainda não tem a potência que as outras equipes possuem. Palmer eu sinceramente não sei o que está fazendo na F1, terminou na última colocação, lutou a corrida inteira no fundo do pelotão contra Kvyat, chegou em momentos a tocar asa e rodas contra o russo mas mesmo assim não conseguiu resultado melhor.

No mais, foi bom ver Wherlein de volta, o piloto que teve que deixar as duas primeiras corridas, devido a um acidente sofrido na corrida dos campeões em janeiro, mostrou que não está tão fora de forma e a décima primeira posição infelizmente é o melhor que conseguirá no momento.

Triste foi ver Alonso sofrendo com sua McLaren e Vandoorne que sequer conseguiu largar devido aos problemas no motor. Alonso não se segurou e ainda soltou pelo rádio para o mundo ouvir o quão ruim é o motor Honda.

A próxima etapa será na Rússia, uma pista mais fria e com menor consumo de pneus, ainda é cedo para apontar quem vencerá, mas o campeonato está mais aberto do que nunca. A Ferrari só precisa mostrar se realmente tem um carro forte para vencer corridas ou se sempre dependerá de cagadas da Mercedes ou momentos de sorte, pois o que vimos na classificação é uma Mercedes ainda muito forte e a Ferrari vindo apenas para incomodar, os italianos precisam se mexer para que possam lutar de igual para igual.

Imagens por Motorsport.com