Carros da Galera – Conheçam a Chevrolet Marajó do Vinícius Hebling

Falaí galera GearHead, hoje estamos postando mais um projeto do Carros da Galera! Além de nos aproximarmos de vocês, isso fará com que todos possam conhecer outros carros, ver diversos pontos de vista em cima do mesmo carro, despertar aquela paixão escondida meio renegada e até mesmo tirar aquela dúvida final, aquele detalhe que faltava para te animar na compra do veículo!

Lembramos que não queremos apenas os projetos mais absurdos, qualquer um pode participar, o foco aqui é na sua história com seu carro ou outros carros, queremos conhecer nossos leitores também! Hoje traremos para vocês a história de um verdadeiro carro raiz, tração traseira, manco, perua, velho e, além de tudo, metido a jota dê emi. Com vocês, a Marajó do Vinicius.

Sabe aquele carro que você sempre dá benga? Então, é divertido bagarai em rotatórias, viu?

Diga seu nome, idade, onde mora…aquela apresentação básica para a galera te conhecer!

Meu nome é Vinicius Hebling, tenho 22 anos e moro em Oz vulgo Osasco (não sei porque o preconceito com Osasco).

Qual carro você tem?

Tenho uma Marajó 1989 1.6/S.

Ele tem algum apelido?

Na verdade ja teve alguns, cada hora surge alguém chamando o carro de nome diferente, como por exemplo: MaraJDM, Marajó dorifto, Chevas, Marilda (estranhamente esse nome combina com o carro), Marajozona.

Como você acredita que nasceu esta paixão por carros?

Por carros eu não sei ao certo, fui crescendo e cada vez mais gostando desse mundo que uma pessoa normal acha besteira.

Porque escolheu este carro?

Sempre tive “paixonite” por Chevette, meu pai teve um Chevette 87, uma Chevy 500 92 e por fim, e herdada por mim, essa tão falada Marajó 1989.

Como você acredita que nasceu este amor/paixão/admiração por este carro em especifico?

Quando eu era pequeno, meu pai me deu um carrinho (daqueles que a criança entra por cima e sai pedalando) e na casa em que morávamos tinha uma descida, eu tinha quebrado os pedalinhos, então todo dia subia esse carrinho no começo da garagem e descia rápido (na minha época de criança aquela leve inclinação era bem rápida) e só tinha um jeito de frear o carrinho, era fazendo ele rodar. Nisso fui crescendo e no primeiro Chevette que meu pai deu ao meu avô eu criei esse carinho por esse carro, ainda mais descobrindo que era um RWD.

Quais carros já teve antes do atual?

Ja dirigi os chevão do velho, porém só tive a sorte de ter um até agora, felizmente e infelizmente.

O carro tem alguma alteração de motor e/ou estética!?

Por enquanto tá tudo original, só o escapamento que tirei o intermediário e troquei o abafador por um da Racing Chrome com corpo de 5″ e saída de 4″, coisa que deixou o ronco do carro muito gostoso. Inclusive em um grupo de chevetteiros elogiaram muito e perguntaram como consegui deixar o ronco do chevão desse jeito.

Dat ass

Tem alguma pretensão de preparação de motor ou pretende deixar original!?

Pretendo, em um futuro não tão distante, colocar um motor AP com turbo só pra dar um tchan de no máximo 1kg, pra um carro leve isso já é ideal, e blocar o diferencial. Projeto final gostaria muito de deixar o carro bem clean, fazendo da Marajó um sleeper.

Uma coisa é certa: temos CERTEZA que mesmo manca, tem mais torque que esses Civic tudo!

Quais você considera os pontos fortes e fracos do carro?

Fortes: tem um bom espaço (pra quem vai na frente), porta-malas excelente, qualquer um com material completo consegue mexer nele, mecânica bem fácil e peças acessíveis, carro bem leve, é um prazer gigantesco por dirigir um carro desse ano e por onde passar arrancar olhares, você sabe que seus amigos vão gostar de você pelo o que você é (nenhum rico anda de Chevette com um adesivo “Absolute Drift” no vidro traseiro). Quase ia me esquecendo, é sempre bom andar com um tairape, vulgo enforca gato, um alicate de corte, pedaços de arame e uma chave de fenda junto com chaves 10/11 e 12/13.

Fracos: molha o pé, dependendo da chuva molha mais dentro do que fora, tem que andar com um par de sapatos reserva, dependendo do Chevette até com uma roupa reserva, se entrar atrás de algum carro/caminhão que “fume” muito você fica defumado dentro do carro, mulheres geralmente não vão querer andar com você no Chevettão.

O cara já deixa os faróis remendados porque sabe que um dia vai cair.

Como é o uso no dia-a-dia!? (Conforto, consumo, manutenção, desempenho, etc)

Pra quem tem mais de 1,80 m não é tão confortável assim, se o motor não estiver bom é gastão, manutenção barata (qualquer kg de latinha de breja que você bebe se levar no ferro velho já consegue comprar algumas peças), desempenho é muito satisfatório pra um carro de 1989.

Como são seus gastos com o carro?

G A S O L I N A.

Qual foi a viagem mais longa que já fez com ele?

Rapaz, essa viagem parecia que nunca ia acabar, de Presidente Prudente até Osasco foram 548 km se não me engano.

Como se portou durante a viagem?

Calor do inferno, vento quente, 80 km/h a viagem toda pra não forçar o velho motorzinho, parava em todos os postos pra esticar as pernas, porque só por Deus.

Ele já te deixou na mão? (Quebrar em algum lugar longe de casa/voltar de guincho pra casa) O que aconteceu?

Ultimamente sim, porém ainda não fui guinchado (grazadeus) mas acho que o problema está no carburador e no coletor com a entrada de ar falsa. Porém nada certo ainda.

A placa é sensacional!

Qual a melhor história que já teve com este carro!?

Melhor historia? Ja tive um bocado, porém acho que a melhor que tive até hoje foi num dia de chuva, acho que ja da pra imaginar né? Chevão RWD + pista molhada = diversão , só que esse dia eu rodei na Av. Autonomista aqui em Osasco saindo da Rua da Estação, e pra minha tristeza, me emocionei e não vi a viatura atrás de mim, nisso que eu rodei a frente do carro parou de frente pra “VTR” e os PMs ficaram me encarando, nisso dei ré com uma calma tremenda e sai com o carro bem devagar, pra nem fazer barulho. Esse dia foi loco.

E a pior?

Indo pra um encontro no Pacaembu, fui com uns amigos aqui de Osasco da Kanjo Squad, e os caras não tem limites, saíram na frente e adeus marajó, nisso eu fiz um outro caminho que eu conhecia e pro meu azar a Maroja deu ruim. Não ligava, não dava sinal de vida. MORREU, aí bati um fone pros manos me ajudarem, adivinha? Bateria zerada, carro não tava carregando a bateria. Fizeram uma chupeta no carro e funcionou, chegamos no Pacaembu (quase) ela morreu outra vez e novamente outra chupeta hahaha.

Pensa em algum dia trocar/vender este carro!?

Ja pensei, inclusive fiz o anúncio porém não tive coragem de prosseguir, tive umas propostas muito perto do que eu pedi nela. Só que bateu o arrependimento e desde então continua firme e forte na família há mais de 7 anos.

Se quiser, sinta-se a vontade para fazer um resumão do carro, coloque algo que não perguntamos, algo que você acredita que deva ser citado, algo que você acha que possa inspirar os próximos GearHeads! Valeu!!!

Eu que agradeço pelo convite de fazer essa matéria bem engraçada até, quem quer um carro legal e barato pra andar super recomendo de olhos fechados, pode ser um carro velho, feio, manco, mas o prazer de dirigir esse carro é bem maior e supera todos os pontos fracos (inclusive os pés molhados no decorrer dos anos).

E por hoje foi só pessoal! Essa foi a história do Vinícius Hebling e sua Marajó JDM, e se você quer participar do Carros da Galera é só mandar um e-mail para amigosgearheads@gmail.com. Lembrando que o carro da semana sempre será a capa do nosso Facebook. Esperamos que todos tenham gostado e semana que vem tem mais! Para ler sobre outros carros que participaram aqui do carros da galera, clique aqui.

Todas as informações aqui veiculadas são de total responsabilidade do autor das respostas e as mesmas não necessariamente vão representar a opinião do Amigos GearHeads.