A vida de um Kartista Amador #003 – Etapa de Fevereiro do Pangaré

Fala galera, beleza? Continuando a saga do piloto de teclado que se acha o bom no kart mas que nunca ganhou nenhuma corrida, conto a vocês como foi a segunda etapa do Campeonato Pangaré de Kart, ocorrida em Fevereiro/2017.

Logo no caminho para o Kartódromo de Interlagos já vi um carro absurdo andando na marginal, seria sinal de boa sorte?

M4 GTS
Uma BMW M4 já é incomum, ainda mais uma GTS!

Um detalhe deveras importante que omiti no primeiro post dessa série foi falar dos meus amigos “companheiros de equipe”. Fui convidado a participar desse campeonato por um amigo meu do trabalho. Na primeira vez que fui correr, ainda no campeonato de 2016, vi que tinha uma turma bem grande que fazia parte da galera desse meu amigo. Se você fica pesquisando vídeos onboard de kart indoor, e já viu uma abertura do vídeo escrito “Karmigos” em preto e branco com os “melhores lances” do Kartismo amador, já viu um vídeo da nossa equipe.

Essa maravilhosa abertura é fruto de um árduo trabalho e de anos de kartismo amador, selecionando somente os melhores lances, as maiores demonstrações de habilidade e finesse.

Se vocês quiserem acompanhar os resultados de toda a equipe, no site do campeonato é só olhar para as equipes que tem o nome “Karmigos”. Em 2017 resolvemos padronizar nossos nomes.

Nessa etapa de fevereiro, que ocorreu novamente em interlagos, o tempo não ajudou. Novamente. E a minha corrida começou mais tarde do que o habitual. O kartódromo de Interlagos tem uma estrutura boa. Porém correr no traçado invertido, na chuva e de noite não é uma boa combinação. A iluminação na parte do fundo da pista não é muito boa e a visibilidade com chuva fica bem prejudicada.

WP_20170212_18_51_14_Pro
Pista molhada, garoa fina 100% do tempo

Como na primeira etapa eu andei muito bem na chuva, estava confiante de ter um bom resultado de novo, mas mesmo assim não poderia ter muita soberba. Pelo fato do grid invertido, larguei lá do fundo, na 22ª posição. A minha maior preocupação era me envolver num acidente logo no começo da corrida e perder posição para o cara que ganhou a etapa passada (ele largou logo atrás de mim, já que as posições estavam invertidas).

No aquecimento, verifiquei que a pista ainda estava muito molhada, mesmo com a garoa fina tendo praticamente parado. Durante a corrida a pista iria secar e eu teria que saber em que momento mudar o traçado. Em condições normais dá até para ver onde se forma o trilho seco. Em Interlagos de noite? Jamais. Mas no final, o aquecimento não foi de todo ruim:

classificação

Fiz o melhor tempo do aquecimento. Óbvio que só fui ver isso na formação do grid. O placar com os tempos o pessoal não inverte junto com o traçado.

A Corrida

Chega de papo furado e vamos ver a corrida, certo?

Antes do vídeo, é bom ressaltar que o burrão aqui não se preocupou em olhar as configurações da câmera. Tive a capacidade de gravar uma corrida de kart em modo “Narrow” e não em “Wide” como seria o certo. O que vocês vão assistir agora é o resultado de uma pessoa preguiçosa:

Logo no começo, o Chioda da equipe “Jovens Sarados” me falou que eu tinha virado 1.2 segundos mais rápido que ele e que ele iria deixar eu passá-lo para vir no meu traçado. Lógico que, como ele mesmo diz, dependeria do que acontecesse na largada. Foi a primeira volta mais tensa que fiz na vida.

Detalhe interessante nesse momento da largada é ver a embreagem do kart dele acoplando e saindo faísca do motor, sensacional!

embreagem
Correr e ainda poder ver a atuação mecânica do kart da frente: GOSTAMOS

Num extremo gesto de benevolência, ele me cedeu a posição na maior camaradagem ainda na primeira volta. Dá também para perceber a quantidade de barro que tinha entre as curvas 4 e 5.

Mesmo a chuva tendo parado, a pista ainda estava MUITO escorregadia. Nas primeiras voltas ainda tento fazer um traçado parecido com o ideal de seco, mas não consigo muitas ultrapassagens. Aos 4’40” do vídeo, fui tentar fazer o traçado normal e o cara da frente fez por fora. Olhem a diferença na saída de curva. Na hora decidi que, a partir daquele momento, seria só traçado de chuva.

  • 7’12”: Momento mini infarto ao ver 2 pessoas rodar na sua frente.
  • 7’30”: O que uma curva feita por fora não faz no final da reta seguinte!

Final da corrida:

corrida

2 corridas = 2 segundos lugares! Ótimo resultado e saí de lá na liderança do campeonato!