Emoção não esperada – Pitacos F1

O GP da Espanha neste domingo veio para provar que este ano será impossível prever o vencedor do campeonato tão cedo, nos dá um pingo de esperança num retorno dos velhos tempos onde havíamos briga por posições do primeiro ao penúltimo. O duelo entre Hamilton e Vettel foi eletrizante, e os duelos entre o resto do grid também, os pilotos estão “perdendo o medo”, estão arriscando mais e com isso temos uma esperança de um campeonato cada vez melhor.
Claro, com certeza teremos mais etapas como o GP da Rússia, sem nenhuma ultrapassagem, mas também teremos outras corridas como o GP espanhol, não dá para ter todas as corridas iguais e isso é o legal do campeonato, que continua aberto é só teremos certeza do vencedor talvez na última corrida, além do mais a cena de Thomas, chorando ao ver Raikkonen bater e também comemorando a ultrapassagem de Vettel em cima de Bottas, nos deixa ainda mais apaixonado por este esporte.
A Mercedes foi muito inteligente, conseguiu manter a calma ao perder a primeira posição na largada, soube manter a calma e fazer com que Hamilton não destruísse seus pneus logo no início, conseguindo retardar ao máximo sua parada e arriscando um jogo de pneus mais duros para tomar a ponta no final da corrida, souberam esperar a estratégia da Ferrari e assim conquistar a vitória. Claro que nem só de estratégia foi a corrida entre os dois, dentro da pista os pilotos travaram uma bela batalha, quando Vettel ao sair dos boxes conseguiu segurar Hamilton para se manter na liderança, foi uma bela manobra, arrojada e que mesmo com toque de rodas ambos se mantiveram na pista, algo sensacional e que a tempos não víamos. Bottas infelizmente não conseguiu terminar a prova, seu motor estourou no meio da corrida, mas também o finlandês não vinha fazendo lá uma prova excepcional, não conseguia andar no mesmo ritmo dos ponteiros e ficava para trás a cada volta, talvez a pancada em Raikkonen no começo da corrida possa ter danificado sua suspensão o que não foi confirmado pela equipe.
Vettel como já foi dito, teve grande chance de vencer a prova, porém a Mercedes foi melhor na estratégia, o alemão ainda tentou segurar Hamilton, porém com pneus mais rápidos o ferrarista não teve chance, durante algumas voltas contou até com a “ajuda” de alguns retardatários, mas quando já não tinha mais carros a sua frente para lhe ajudar, não conseguiu segurar a posição. O embate entre o piloto da Ferrari e da Mercedes foi sensacional, uma batalha pela primeira posição que a tempos não assistíamos, foi épico.
Raikkonen como dito não teve tanta sorte, bateu logo na primeira curva, quando Bottas freou cedo demais e Raikkonen tentou um pulo do gato, meio afoito, Bottas não teve o que fazer, tocou no ferrarista que tocou em Verstappen e aí foi aquela reação em cadeia, a pancada foi tão forte que a suspensão de ambos estourou, não dando chance a nenhum deles, apenas Bottas conseguiu continuar.
Ricciardo ganhou um pódio de brinde, o melhor do resto terminou na terceira posição sem sustos, conseguiu se livrar da pancadaria nas primeiras curvas, veio fazendo uma corrida anônima e solitária e com a quebra de Bottas o pódio veio de brinde, mas também dificilmente perderia. O chato é que mesmo assim ainda não da para falar muito, a transmissão sequer mostrou Ricciardo durante a prova, o australiano estava muito atrás dos ponteiros e muito a frente de quem vinha atrás, não foi ameaçado e não ameaçou. Verstappen como já dito se deu mal na primeira curva ao ser acertado por Raikkonen, encostou no box e lá ficou.
Um ótimo resultado sobrou para as Force India, na quarta e quinta colocação, Perez e Ocon respectivamente pontuaram novamente, ambos andaram sempre perto um do outro durante toda a corrida, evitaram acidentes e conseguiram fazer uma corrida sólida e livre de problemas. Perez apenas teve um susto num pit stop quando uma roda travou e acabou demorando um pouco demais, fora isso, tudo normal, um resultado excepcional e se continuar assim, conquistar o terceiro lugar no mundial de construtores começa a se tornar um sonho possível. A equipe inclusive é a única nesta temporada a pontuar com seus dois carros em todas as corridas.
Na sexta posição o excelente Hulkenberg apesar de apagado, conseguiu um ótimo resultado para a Renault, que consegue mostrar sua evolução, que o investimento está valendo a pena e Palmer em P15, bom, sem comentários.
Em sétimo temos Sainz Jr., num bom resultado pela Toro Rosso e o Kvyat terminou na nona posição depois de uma corrida cheia de batalhas junto com a Haas de Magnussen, que terminou com o piloto do time americano com um pneu furado a duas voltas do fim.
Em oitavo Wherlein marca os primeiros pontos da Sauber, um ótimo resultado para a equipe que até então não tinha nenhuma esperança de pontos, a equipe de Monisha começa ficar um pouco mais aliviada, ainda mais depois de terminar a frente de uma das Toro Rosso, se continuarem evoluindo o carro, os resultados com certeza aparecerão. Já Ericsson quase pontuou também, terminou em décimo primeiro, porém sem chances de atacar quem estava a frente.
E para fechar os pontos Grosjean na décima posição foi um tanto quanto decepcionante, durante a corrida não conseguiu andar no mesmo ritmo de seu companheiro de equipe, mas também merece um desconto pois Magnussen estava com um chassi novo com todas as atualizações, a Dallara atrasou a entrega de novos componentes e a Haas teve que escolher no cara ou coroa, sim meus amigos, cara ou coroa para ver quem ia correr com o melhor carro, mas tudo bem, Magnussen teria um resultado melhor, mas em uma disputa com Kvyat acabou se dando mal e tendo um furo em seu pneu prejudicando tudo o que ele tinha batalhado durante toda a corrida.
Das dez equipes, oito pontuaram, ficando de fora da festa apenas a McLaren e Williams. McLaren a quem dedico este parágrafo, após Alonso conseguir a sétima colocação na classificação, esperava-se que o asturiano fosse conseguir alguns pontos, porém na zona que foi a primeira curva, quando Verstappen após ser acertado por Raikkonen foi voltar a pista, acabou atrapalhando meio pelotão, e no meio dessa galera atrapalhou Massa que para evitar mais incidentes tirou o carro repentinamente e acabou acertando Alonso que foi parar fora da pista, fazendo o piloto da McLaren perder várias e várias posições, pelo menos ele conseguiu terminar a primeira corrida do ano para a equipe. Vandoorne só apareceu na corrida quando tocou em Massa e acabou com sua suspensão quebrada.
A sobra fica para a Williams, Felipe Massa até que fez uma boa largada, mas ao tocar em Alonso acabou furando o pneu e caindo para o final do grid e durante toda a corrida por lá permeceu, sem conseguir lutar por melhores posições. Stroll sofreu, a falta de habilidade, o garoto ainda é notável, brigou apenas no fundo do pelotão e foi ultrapassado até pela Sauber.
A corrida em si foi muito boa, a dúvida em saber quem iria ganhar a corrida deixou todos atenciosos, a atitude da organização da corrida e também da Ferrari com Thomas foi o ponto alto e mais belo de todos.
Imagens por Motorsport.com