Qual o melhor primeiro veículo para um universitário? – O guia de 9 mil reais até 30 mil!

Não é um déjà vu: você leu a primeira parte desta publicação aqui. Agora é a hora da continuação!

Atenção: A publicação a seguir contém, em alguns trechos, doses cavalares de ironia, mas em outros ela pode ser levada a sério mesmo. Leia por sua conta e risco.

Universitário Parte 2

Ah, a universidade. A fase mais bonita na vida de um ser humano. Onde não existem cobranças, pressão da família, concorrência ou até mesmo problemas de relacionamento. Tudo é mais lindo com a vida universitária, mas você insiste em reclamar do transporte público, que é tão eficiente. Seguindo essa premissa, e olhando os classificados online todos os dias, você chegou a uma decisão: é hora de ter o meu próprio transporte. E é aqui que entra o seu site GearHead favorito, pois nós iremos te ajudar a fazer a pior melhor escolha!

Muito provavelmente você nunca teve um veículo, então pensamos em coisas plausíveis e que não darão muita dor de cabeça com a manutenção. Sem falar nas dimensões; um carro pequeno é essencial para quem está começando pois você vai arranhá-lo na hora daquela estacionada mais apertada. Cuidados com o consumo também serão levados em conta, nada de turbinados por aqui, a seção de Lasanhas fica pra lá. A segurança também será levada em conta, de acordo com a faixa de preço adequada (já chegaremos lá).

Você também notará que modelos como o Fusca e o Chevette não aparecerão por aqui. Eu explico: a especulação em cima desses modelos está tão grande que não dá pra chegar num valor médio preciso para um carro relativamente usável. E você não quer que seu primeiro carro negue fogo na porta da balada, não é mesmo?

Para facilitar, dividimos nosso comparativo em algumas categorias, talvez você se encaixe em alguma delas. Os nomes são apenas ilustrativos, então pode ser que você caia numa faixa de preço que não condiz com o que dissemos aqui, mas o que vale são as opções disponíveis. Sem mais delongas, vamos ao que interessa!

Universitário perto de se formar – Entre 9.000 e 15.000 reais. 

Chegamos naquela etapa em que o curso parece não ter fim, não é mesmo? Quanto mais perto de se formar, mais difícil fica. A correria do dia a dia faz você ficar mais acelerado, não só no volante, e as vezes você precisa levar aquele monte de tralha para a universidade. Com o tempo de curso, muito provavelmente você já conseguiu se organizar melhor e juntar alguma grana pra comprar um carro mais inteligente para o seu uso. Então, vamos às opções.

Chevrolet Classic

1_dsc_2273
O clássico bigodinho na grade é o charme na praça de táxi

O Classic tem os bons atributos do Celta com o plus de ter um porta-malas bem maior. E, é claro, por se basear na plataforma do Corsa B/Celta ele também herdou os aspectos ruins dos veículos citados anteriormente. Por exemplo, um motorista com mais 1,80 m deve passar longe deste carro, mesmo com o banco ajustado lá pra trás. Lembre-se que o espaço extra é no porta-malas, não no habitáculo.

chevrolet-classic-20162b2528425291
O interior é tão requintado quanto farofa de macarrão

O lado bom dessa história é a manutenção. O Classic talvez seja o carro mais barato de manter dentre todas as opções citadas. E o motor dá conta do recado. Antes da chegada dos tri-cilíndricos o GM VHC era o 1.0 mais esperto do mercado, sem deixar de ser econômico. Mas, assim como o Celta, segurança não é o seu ponto forte.

Ford Ka Action 1.6

ka-xr
A foto é do XR, mas o modelo em si é o mesmo

O câmbio curto e o espaço interno reduzido podem incomodar alguns. Mas esses dois itens trazem, respectivamente, agilidade e menor massa para a carroceria, itens interessantes para um GearHead. Não é a toa que o Ka é chamado de Kart de rua, o entre-eixos curto e as rodas nas extremidades do monobloco dão uma dirigibilidade surpreendente para o subcompacto da Ford.

Ford - São Bernardo Do Campo Lançamento do Ford KA 2005  16/07/2004
Engenheiros da Ford dizem que não há tampa de porta-luvas por alívio de peso: GOSTAMOS

É um carro ligeiro, bom de guiar, fácil de estacionar e melhor ainda de manter. Por compartilhar o motor com Fiesta, EcoSport e Focus, as peças são achadas facilmente no mercado. Mas evite os modelos 2001 e 2002, esses vêm com alguns problemas mecânicos de fábrica. Se conseguir achar um XR acima de 2003 dentro dessa faixa de preço abrace sem pensar duas vezes, eles já vem até com airbag duplo.

Honda Fit LX

honda-fit-2007-1498590591966_v2_956x500
Certa vez me disseram que o Fit é o Civic com caxumba. Não sei o que opinar.

O Fit não tem o desempenho do Ka 1.6, ou o porta-malas do Classic. Mas ele é o carro mais equilibrado dos três no quesito praticidade. Apesar de não conquistar todos no visual a primeira vista, o espaço interno do monovolume nipônico consegue criar fãs fiéis ao modelo. O sistema ULT (sigla em inglês para utilitário, longo e alto), permite 10 configurações dos bancos (incluindo o do carona) sem retirá-los do carro.

fit2003-bancos3
Uma das 9 milhões de combinações possíveis do sistema ULT

Disponível apenas nas versões LX e EX, externamente você só percebe alguma diferença quando olha para o logotipo: se o pingo do i for vermelho, é LX, se for azul, é EX. A versão EX, que vem com um 1.5 VTEC bastante esperto, foge da nossa faixa de preço, então foque nos modelos LX, equipados com câmbio CVT ou manual. O CVT trabalha muito bem e o manual tem os engates mais preciso que eu já vi. A manutenção é tranquila como na maioria dos carros japoneses, mas pode salgar na hora de trocar as velas: o motor 1.4 iDSI (que na verdade desloca 1,35 litro) usa 8 velas, duas por cilindro, motivo esse pelo qual o consumo do carro é bem contido.

Universitário “playboy” – Entre 15.000 e 25.000 reais.

Então você tira onda sem ter um centavo, não é mesmo? Quer andar de barca sem ter um dinheiro no bolso? Pois você merece um problema na garagem mesmo, hein? Só que você é universitário, então não irei indicar as lasanhas mais pesadas possíveis e sim aquelas em que dá pra você chamar alguma atenção na porta da boate (não disse qual).

Audi A3 1.6

audi-a3-1529_32
O carro é estiloso, na moral

Como eu já bem disse aqui, “o Audi A3 é o carro que muito provavelmente já passou por diversos donos, desde aquele entusiasta da marca até o playboy que só quer cortar as molas e encher o porta-malas de som. Por favor, procure chegar antes do playboy.” A recomendação continua, mesmo na versão 1.6. Talvez o cuidado seja até maior, pois, apesar da mecânica ser simplificada, o custo menor torna o carro mais acessível a todos os públicos. E isso nunca é algo 100% bom. Aqui eu contei um pouco mais sobre o carro:

dc2d1211db18f65d6756a3eb844ccba3
Olha aí, o melhor câmbio do planeta #sqn

Fuja dos modelos automáticos, o câmbio tiptronic dá manutenção[…]. O computador de bordo pode custar mais de 2 mil reais se não estiver funcionando. O problema do A3 é que quando a peça não é importada, ela é cara (mas pode ser ambas as coisas).

FIAT Stilo Blackmotion 1.8

ec098e3f74b4334b6fa2adb709b9a117
Um carro pra quem tem STILO

O Stilo ainda chama atenção pelo seu visual não convencional e o teto solar Sky Window. A manutenção do 1.8 8 válvulas de origem GM é tranquila, difícil mesmo vai ser achar um exemplar com o teto funcionando. Dê preferência aos modelos fabricados a partir de 2010, esses não possuem aquele famoso sistema que ejeta a roda traseira em curvas muito acentuadas.

sitlo-dualogic
Olha aí, outro câmbio excelente

Como já falado, a manutenção do teto solar é chatinha, mas nada de outro mundo. O motor Família I costuma vazar um pouco de óleo, mas também não é nada muito preocupante. O ponto positivo do Stilo está no pacote de equipamentos das versões de fim de produção. O modelo Blackmotion é um dos carros mais completos que você pode comprar nessa faixa de preço. É equipado como o Abarth, mas com um motor que você consegue manter sem precisar fazer dívidas com agiotas. Fuja do modelo Dualogic por motivos óbvios.

Honda Civic LXS de 8ª geração

243676
Um dos desenhos mais bem acertados de todos os tempos

A manutenção de um Honda é bastante tranquila, tanto no preço das peças quanto na durabilidade das mesmas. O único problema desse modelo é a caixa de direção, que apresenta desgaste fora do normal e pode ser um serviço caro de se reparar. É interessante olhar muito bem o carro como um todo, pois apesar de não ser, o visual esportivo (e a boa dinâmica, vale ressaltar) do New Civic inspiraram muitos ex-donos a usarem seus carros indevidamente. Se o carro tem o emblema “i-VTEC” na lateral, que saiu apenas no modelo Si, fique de olho: você pode estar comprando o carro de um cupim de aço.

Interior Civic LXS
O painel é lindo, mas NÃO TEM COMPUTADOR DE BORDO

Apesar do visual moderno, o Civic desta geração é um carro antigo, ele surgiu em 2006 e, nos modelos mais velhos, não possui mimos como som com saída USB e auxiliar. E mesmo sem um computador de bordo o painel do Civic de oitava geração mantêm um desenho atemporal. O motor R18 não dá manutenção, tem bastante torque para um Honda e ainda é bem elástico. O pior problema do Civic 8 é o consumo. Os modelos só a gasolina, tanto com câmbio manual como automático, bebem pouco para o porte do carro. Mas a partir de 2008 só existiu Civic Flex, e aí o consumo subiu pra valer.

Universitário pós-graduando – Entre 20.000 e 30.000 reais.

Parabéns, você se graduou e está na hora de comprar o primeiro carro! Muito provavelmente você já estará trabalhando mas ainda não poderá rasgar dinheiro (afinal, você está fazendo uma pós para isso. Tá, não necessariamente rasgar dinheiro, mas você entendeu). E é por isso mesmo que a faixa de preço do pós-graduando intersecta com a do universitário playboy, a diferença é que o cara que estudou mais pensa com a cabeça de cima. Você optará por um carro mais novo, seguro e que dê poucos gastos, tanto em manutenção quanto em seguro. Assim sendo, as escolhas mais racionais (ou menos imbecis) da lista estarão aqui.

Volkswagen Move Up! MSI

seguro-auto-volkswagen-up
Relaxa que as rodas do Move Up não são essas

O Up! tem tudo o que um motorista de primeira viagem precisa: segurança, consumo comedido e espaço interno bastante considerável. É o carro que não atrai pelo visual, mas sim pela racionalidade. Os acabamentos internos são bem fixados, mas a lata exposta nas portas afasta uma grande quantidade de potenciais compradores. Mas se forro de porta salvasse vidas o Mobi teria se saído melhor no teste de colisão…

vw-move-up-1390752574739_956x500
Falem o que quiser, o interior tem lata exposta mas é bem montado

Apesar de ser famoso pela versão TSI, o motor MSI também tem seu brilho. Antes da chegada do Ford Ka, foi o 1.0 aspirado mais potente do mercado com 82 cv a 6.250 rpm e 10,4 kgfm a 3.000 rpm. É valente graças aos 920 kg de massa e o motor ainda gira até os 6.500 rpm, sofrendo mas gira. Não exija muito da dinâmica do carro, que pendula mais que o normal em curvas (ainda mais se equipado com os Goodyear Duraplus), mas é possível se divertir com o Up aspirado. O câmbio padrão VW ajuda na tocada.

Hyundai HB20 Comfort Style 1.0

hyundai-hb20-premium203
O sonho dos universitários

E aqui está ele, a atração da noite, o carro que não poderia faltar na lista, o sonho de 9 entre 10 universitários. Já falamos dele aqui no Lasanhas de Alta Potência Específica, mas o foco aqui é na versão 1.0 de 80 cv a 6.200 rpm e 10,2 kgfm a 4.500 rpm, que tem consumo reduzido e seguro mais barato. Porém, algumas considerações antes já feitas valem também para o modelo mais fraco da família. Nesse valor, você consegue um HB20 na versão Comfort Style, a mais completa com motor 1.0.

635_hb20_03
O som estilo anos 90 está lá

Por falar em suspensão, por ter pouco curso os amortecedores desgastam com facilidade, gerando ruídos semelhantes aos de um Peugeot. O volante tem um problema no airbag, que é mal fixado e gera ruídos no interior da cabine. Mas ninguém liga, o que é um airbag mal encaixado né gente? Porém o defeito mais curioso deste carro está na baixa qualidade da pintura dos primeiros modelos. Apesar dos pesares, é um carro forte e relativamente econômico, não te deixando na mão por falta de peças. Vale lembrar que a versão Comfort não tem ABS, que surge apenas na versão Comfort Plus, ao lado do kit elétrico, volante multifuncional escamoteável, faróis de neblina e rodas de liga leve.

Toyota Etios XLS 1.5

toyota-etios-110
Feio

Falando francamente, nunca imaginei que um dia eu iria sugerir um Toyota Etios. O carro é mais feio que bater na mãe. Sim, gosto é que nem visão, cada um tem a sua e tem gente que não tem. Mas não dá. O caso do Etios é semelhante ao do Pontiac Aztek: é um consenso. Só que, racionalmente falando, não há carro mais inteligente que ele. Sem falar que ele é pequeno, tem um motor relativamente potente e as rodas estão na extremidade da carroceria. Você muito provavelmente não se imaginará ser GearHead com um Etios, mas por quê não tentar?

Etios TE37
Menos feio

Há o Etios X, XS e o XLS, um dos mais completos contando com som, rodas de liga leve e faróis de neblina. Mas em abril do ano passado o Etios recebeu sua melhor mudança: o painel deixou de ser fabricado pela Filizola, ganhando uma peça única de cristal líquido, semelhante ao do Prius (outro carro de visual bem questionável). Além disso, os motores ganharam variação de fase na admissão e no escape. Com isso, o 1.3 saltou de 90 para 98 cv e o 1.5 cresceu de 96 para 107 cv, sempre a 5.600 rpm. Apesar disso os motores mais antigos são mais giradores, cortam em 6.000 ante 5.800 rpm dos mais modernos. E é muito pouco provável que você encontre um Etios 2016/2017 por menos de 30 mil, mas vale a pena a caçada. E fique de olho no recall do airbag, a Toyota deixou de consertar algumas unidades para simplesmente colocar um adesivo avisando que não há airbag. Vergonhoso.