Fórmula Senna – de fã para piloto

O que move o fã do automobilismo? A paixão pelo esporte? O apreço pelo ídolo? O gosto pela cultura automotiva? Ou tudo isso junto? Talvez eu não tenha competência para responder essa pergunta, mas tenho certeza que posso lhe apresentar um grande exemplo de entusiasta do esporte a motor. No 1º Itabuna Motocar conheci o senhor Ivan Gusmão, dono da oficina Senna Center Car e fã incondicional do nosso querido chefe.

No vídeo abaixo vocês irão conferir o que a paixão pelo automobilismo consegue fazer. E peço desculpas de antemão pela qualidade de áudio, a falta de equipamento atrapalhou a captação de som. Mas o que me complicou mesmo foi a falta de cooperação: os motociclistas estavam “cortando giro” bem perto de nós. Na próxima vez irei preparado para esses imprevistos.

Pude conversar sobre alguns detalhes da empreitada de Ivan, um plano bastante ambicioso que engloba pista de asfalto, pista de terra e um condomínio isolado acusticamente para cobrir as despesas do autódromo. O terreno onde será realizado a construção do complexo já está em posse. O traçado do circuito seguirá o de Estoril, histórica pista portuguesa que era a favorita do Senna e foi onde ele ganhou seu primeiro GP. Cada box receberá o nome de um piloto nacional, as curvas também levarão homenagens em seus nomes e o resultado disso é um grande tributo ao automobilismo brasileiro.

Os veículos possuem reforços estruturais para aumentar a segurança dos pilotos que, até então, são iniciantes. Após isso, o VW boxer 1.600 receberá uma preparação mais “brava” para encarar as pistas. E você pode achar pouco, mas é totalmente compreensível: Não é todo mundo que está preparado para guiar num circuito. Assim como eu disse aqui que um carro esportivo é para poucos, um carro de corrida é para um nicho ainda mais limitado. É preciso um preparo físico, para suportar as diversas voltas num mesmo trajeto, e mental, para evitar que um doido entre e saia batendo em todo mundo. A vida real não é o GTA.

O mais interessante, e que me anima, nisso tudo, é a possibilidade de autódromo perto da minha casa. Mesmo sendo em outra cidade (Itabuna), que fica a cerca de 30 km daqui, é um feito muito grande. Não há um autódromo na Bahia. Entende o que isso representa para a cultura automotiva daqui? As vezes não consigo acreditar que estou vivendo a história.