O último GP da Malásia na F1, adeus Sepang – Pitacos F1

As corridas na Malásia na maioria das vezes nos proporcionaram ótimas corridas e também alguns momentos inusitados, como por exemplo, quem não se lembra de Raikkonen no caótico GP de 2009 onde uma chuva torrencial paralisou a corrida e os pilotos na esperança da corrida ser retomada continuaram com seus macacões, exceto ele, que do nada aparece de bermuda e camiseta tomando sorvete, fora várias outras situações. Antes o GP da Malásia acontecia no começo do campeonato, bem na época de chuvas daquela região, então era muito comum termos corridas com bastante chuva. Depois que mudou para a segunda parte do campeonato, isso se tornou menos comum.

Mas não estou aqui para contar histórias, estou aqui para falar sobre a corrida deste domingo (01), que também infelizmente marca o último GP malaio, os administradores do circuito vinham reclamando de vários prejuízos com a corrida e decidiram não renovar o contrato com a F1 e não receberão mais os pilotos do mundial, mas como último GP ele representou bem, nos proporcionando uma ótima corrida, que fez valer a pena acordar na madrugada para assistir. Max Verstappen com certeza foi o nome principal da prova. O jovem holandês que fez aniversário neste final de semana recebeu um belo presente com a vitória, guiando muito bem e não cometeu erros. Fez uma corrida limpa e soube gerenciar bem seu carro para não ter problemas e realmente guiou como um piloto de ponta. Hamilton ligou o modo automático, também não cometeu erros e não quis arriscar nada demais para não ter problemas. E para fechar com chave de outro, Stroll quis voltar as raízes e fazer a melhor (ou seria pior?) de suas lambanças e acertou Vettel depois que a corrida já tinha acabado.

Bom, vamos falar sobre o vencedor, Verstappen, que fez uma largada limpa (dessa vez não foi encaixotado por ninguém) e soube ter calma para atacar Hamilton. Sabia que tinha um carro melhor e não se afobou para passar o inglês, fez uma manobra limpa, sem abusar muito e depois que tomou a liderança fez um ótimo trabalho, fazendo volta mais rápida atrás de volta mais rápida abrindo uma larga vantagem para o piloto da Mercedes e durante a corrida soube administrar tal vantagem e não teve mais problemas. Max correu tão limpo que só foi aparecer novamente na transmissão quando estava ultrapassando alguns retardatários e na última volta da corrida. Agora Ricciardo fez menos do que poderia ter feito na corrida, mesmo com um caro claramente superior aos carros da Mercedes. O australiano demorou para passar Bottas e não conseguiu sequer atacar Hamilton, que acabou apagado pela belíssima atuação de Max e por pouco não perdeu o pódio para Vettel que vinha babando atrás dele e não conseguiu ultrapassar pois não tinha mais pneus. A terceira posição foi por pouco para o piloto.

Hamilton em segundo que correu em modo vovózinha, sequer mostrou resistência para Verstappen, tomou o maior cuidado possível para não sofrer nenhum incidente e nem forçar o motor de seu carro. Foi uma corrida tão sem sal do inglês que eu vou parar de enrolar e falar dele. O pior é Bottas, que também nem dá graça comentar sobre a corrida dele, o finlandês sofreu durante todo o final de semana para conseguir um bom ritmo com o carro e mesmo assim fez uma classificação e corrida completamente apagados. Seus melhores momentos foram durante a briga contra Ricciardo e depois contra Vettel, que mesmo assim o alemão nem precisou ficar muito tempo atrás do finlandês, ultrapassando ele durante as paradas nos boxes que acabou terminando apenas na quinta posição.

Confesso que é difícil escolher o piloto da corrida, tanto Max quanto Vettel fizeram ótimas corridas, talvez a de Vettel tenha sido apenas mais agitada. O piloto alemão claramente tinha o melhor carro do final de semana, dominou os treinos livres de maneira assustadora mas uma quebra em seu motor acabou fazendo com que ele tivesse que largar da última posição e meus amigos, que corrida! Vettel escalou o pelotão de forma absurda, estudando como ninguém quem vinha a frente para ultrapassar no melhor lugar possível, o que infelizmente fez que ele perdesse um tempo precioso em certos momentos, mas mesmo assim conseguiu chegar na quarta posição nos proporcionando uma bela batalha perto do final da prova, uma pena que acabou colocando os pneus super macios um tanto quanto cedo mas fora isso foi uma ótima atuação e ainda conseguiu o recorde da pista. Uma pena que Raikkonen sequer conseguiu largar devido a um problema em seu motor ainda durante as voltas de instalação antes de começar a corrida acabaram tirando tirando o finlandês da corrida. Como diria seu Omar: “Trágico!”. Vettel ainda teve que pegar uma carona com Wherlein para chegar aos boxes.

 

Pérez fez uma boa corrida, conseguiu terminar na sexta posição. O mexicano estava sofrendo com uma forte gripe e não conseguiu uma boa posição de largada, mas foi consistente durante a corrida e fez uma boa largada, não correndo riscos e superando bem os problemas que teve. Já Ocon acabou tocando com Massa na largada, fez uma corrida discreta e terminou apenas na décima posição não fazendo desta vez um bom trabalho.

A sétima posição de Vandoorne é incrível se comparado ao carro que tem. O jovem belga fez uma corrida limpa com uma ótima estratégia, conseguindo ótimos pontos para a McLaren e assim mostra até certa evolução da equipe. Alonso porém, terminou apenas em décimo primeiro e teve como melhor momento na corrida sua briga contra Vettel que mesmo não tendo muito motor conseguiu segurar e lutar bravamente por sua posição, uma pena não ter conseguido terminar entre os que pontuaram.

Stroll terminou na oitava posição protagonizando uma das cenas mais bizarras que já vi na minha vida, um tipo de acidente que é completamente inexplicável. Onde já se viu, conseguir causa um acidente após o término da corrida? Ele nem tinha conseguido um pódio e sequer era seu melhor resultado na carreira e mesmo assim ele estava completamente desligado após o término da corrida. É sério, eu não consigo entender, mas enfim, o jovem canadense até que fez uma boa corrida, lutou bem pelas posições que conquistou, chegando até a brigar com seu companheiro de equipe e terminando a frente dele sem muito esforço. Na nona posição Massa fez o que podia com o carro que tinha, como dito mais acima, sofreu um toque de Ocon ainda na primeira curva, mas conseguiu fazer uma corrida limpa. Uma pena que a Williams não tenha mais carro para oferecer.

Num dos raros momentos eu faço aqui uma parágrafo a mais, pois além de tudo já contado, preciso falar sobre Palmer e suas peripécias. O piloto na verdade deveria ter pedido música no fantástico pois já tinha rodado durante os treinos livres e na corrida roda sozinho sem ninguém para fazê-lo rodar. Volta a pista brigando com uma Haas e tendo que abrir espaço para Verstappen já que estava tomando volta e consegue rodar de novo e ainda não entende porque a Renault vai dispensá-lo ao final da temporada. Na verdade eles queriam dispensa-lo antes mas como Palmer tem um bom contrato, infelizmente não conseguiram.

Fico triste pela perda do circuito malaio. A pista nos proporcionava na maioria das vezes ótimas corridas, um circuito que eu particularmente gosto de assistir as corridas que lá aconteceram e torço para que um dia voltemos a ter corridas lá. O circuito foi um dos primeiros do engenheiro e arquiteto Herman Tilke na F1 e por mais que muitos não gostem de suas pistas, devemos admitir que o circuito de Sepang não é de todo ruim.

Fotos por Motorsport.