O Kwid recebeu 3 estrelas no teste de colisão [aplausos]

A tropicalização da Renault fez muito bem ao subcompacto indiano. Sinônimo de insegurança na sua terra natal após passar por três crash-tests com resultados péssimos, o Kwid se saiu bem no teste de colisão da Latin NCAP (Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe).

Seguindo o bom trabalho feito com o Captur nacional, a fabricante francesa surpreendeu e trouxe segurança para um carro que era motivo de piada. Foram 150 kg de reforços estruturais no modelo brasileiro em relação ao indiano, o que explica a melhora substancial nos resultados.

Kwid colisão
Nenhuma região foi considerada pobre, o que é muito bom

Uma estrela o Kwid já levou por possuir alerta de cinto de segurança do motorista. As outras duas são justificadas pela carroceria, que poderia levar até três estrelas no quesito de proteção para adultos. A última estrela, não conquistada, seria levada caso houvesse controle de estabilidade, inexistente em todas as versões.

od4417rkw1-oncrash-cam6
O chassi se mostrou estável, diferentemente de Onix e Ka

Quanto às três estrelas na proteção para crianças, o modelo só não ganhou mais por não ter cinto de 5 pontos para todos os ocupantes e por não ser possível desligar o airbag de passageiro.

O Kwid não possui o sofisticado chassi com soldas a laser do VW Up!, mas se posicionou muito a frente de outros dois concorrentes: o FIAT Mobi e o Chery QQ. E se a gente comparar com o Onix e o Ka, ambos com zero estrela, a vantagem para o carro de entrada da Renault é ainda maior. Estamos falando do nacional mais barato do Brasil, e ele é mais seguro que carros de categoria superior. Vendo nossa realidade é pra aplaudir, sério mesmo.