Novidades sobre o Virtus: de 60 até 80 mil reais.

O que já era óbvio ficou ainda mais claro: o sedã do Polo se posicionará em preço acima do Voyage e abaixo do Jetta. E acertamos a faixa de preço! Os consumidores aguardam com certo anseio o seu lançamento, já que o carro é montado sobre a plataforma MQB-A0, versão simplificada da MQB, que trouxe carros bem construídos e seguros ao mercado. Agora nós sabemos o que existe em cada versão, apesar de não termos diferenças em relação ao Polo.

volkswagen-virtus-highline-200-tsi-6
O Virtus é o sedã do Polo, mas não é o Polo sedã (que?)

Pela primeira vez o sedã do Polo ganhou um nome exclusivo, e isso se deu por causa das modificações aplicadas em relação ao modelo hatch. Até a coluna o carro é virtualmente idêntico ao modelo 2 volumes, mas o entre-eixos cresceu 8,6 cm, totalizando 2,65 metros, enquanto que o comprimento total é de 4,48 metros, com largura e altura iguais. O porta-malas também teve um salto expressivo, de 300 para 521 litros (são 510 no Jetta). Por sinal a tampa do porta-malas, por possuir maçaneta, fez o console perder o botão que abre o porta-malas de dentro do carro. Curioso.

Assim como no Polo, o sedã já vem com quatro airbags, alerta de frenagem de emergência, ISOFIX e cintos de três pontos para todos os ocupantes desde a versão mais básica. Uma mudança: o motor 1.0 aspirado foi abolido, começando pelo 1.6 EA-211 de 117 cv a 5.750 rpm e 16,5 kgfm a 4.000 rpm para a versão MSI e terminando no 1.0 TSI de 128 cv a 5.500 rpm e 20,4 kgfm a 2.000 rpm para as versões Comfortline e Highline. Ah sim, também não há opção de motor turbo com câmbio manual, mas estamos falando de um sedã, querendo ou não o público é diferente do hatch.

Versões

O Virtus MSI 1.6 sai por R$ 59.990 e possui o motor, da família EA-211, herdado do Gol Rallye de 2015 (lembra dele?) e do Fox Highline, sempre acoplado ao elogiado câmbio MQ-200 (um automático aqui cairia bem para o mercado). Aqui temos alarme, ar-condicionado, computador de bordo, ISOFIX, rádio com USB, travas e vidros elétricos e 4 airbags. Connect Pack (multimídia, rodas de liga de 15 polegadas, sensor de estacionamento e controle de som no volante) e Safety Pack (controle de tração e estabilidade) são opcionais

3af1cb7a-ce65-46bb-938d-098bfa3ed6f5
O Virtus tem 521 litros de capacidade do porta-malas

A versão Comfortline (R$ 73.470, um salto bem grande em relação ao MSI) recebe os itens da versão MSI e seus opcionais com a adição de assistente de partida em rampas, volante com ajustes de altura e profundidade e retrovisores elétricos. Sim, a VW insiste em vender a dupla sem retrovisores elétricos na versão de entrada. Como opcionais temos os pacotes Tech 1 e Tech 2. No primeiro, temos chave presencial, piloto automático, sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor interno fotocrômico, rodas de 16 polegadas, faróis com acendimento automático, sensor de chuva e aletas para trocas de marcha no volante.

O segundo pacote leva os itens do primeiro e mais: ar-condicionado digital, câmera de ré, indicador de pressão dos pneus, porta-malas com ajuste de espaço, detector de fadiga, frenagem pós-colisão e porta-luvas refrigerado.

virtus-2
O interior do Virtus Highline com o painel Active Display

Por fim, o Virtus Highline (R$ 79.990) leva os itens do Comfortline e ainda recebe piloto automático, chave presencial, luz diurna em LED, ar-condicionado digital e rodas de 16 polegadas. Como opcionais temos bancos de couro, rodas de 17 polegadas, banco do passageiro rebatível e o pacote High. Este pacote agrega os itens do pacote Tech 2 e o painel 100% digital Active Display.

Em breve veremos como será a recepção do mercado para o Virtus. Mas os veículos da imprensa já adiantam: temos mais um bom concorrente para o segmento dos carros “quase-médios”.