2018 Endurance Series já começou! Um apanhado de Daytona 24h e Bathurst 12h

A temporada de 2018 de provas de endurance começou com as 24 Horas de Dubai. Grid enorme com 80 carros, GT3 mais carros de turismo, prova válida pelo campeonato 24 Hours Series. Corrida interessante com direito a uma boa briga no final pela liderança.

Mas, o kick-off MESMO é com as 24 Horas de Daytona, que foi ganha pelo trio luso-brasileiro da Equipe Action Express, chassis Dallara Cadillac, Felipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi. Temos brasileiros nas quatro primeiras posições! Felipe Nasr chegou em segundo com mais um Cadillac DPi e Bruno Senna na quarta posição com um Ligier LMP2. Os novos carros da Acura sofreram muitos problemas apesar de serem rápidos, e chegaram nas duas ultimas posições dos protótipos. E Fernando Alonso! Se divertiu pra baralho na sua primeira corrida de 24 horas. Aliás, meus amigos, ELE ESTÁ CONFIRMADO COMO PILOTO DA TOYOTA EM LE MANS ESSE ANO!!

Na categoria GTLM (GTE, classe de elite de carros GT no WEC), a Ford Chip Ganassi levou as duas primeiras posições, com os dois Corvettes terminando os quatro primeiros. As novas BMW M8, que teve participação de Augusto Farfus sofreram MUITOS problemas e não foram muito bem na corrida. Na categoria GT Daytona (GT3) tivemos uma ótima surpresa! A primeira vitória da Lamborghini numa prova de 24 horas. No resto do pódio tivemos o Acura NSX GT3 e outra Lamborghini Huracán GT3.

Mas nem tudo é flores. A prova foi EXTREMAMENTE chata do começo ao fim, não aconteceu nada de interessante. Nenhuma relargada que definisse os lideres das categorias, nem brigas por posições. Nada. Foi um corrida muito chata.

Não podemos dizer o mesmo das 12 horas de Bathust na Austrália. Meus amigos, foi tudo emocionante, desde os treinos qualificatórios até os ultimos 15 minutos de corrida. O Qualify foi sensacional, com os GT3 tendo que fazer apenas uma volta rápida nesse circuito apertado que não permite erros. A BMW M6 GT3 da Schnitzer Motorsports simplesmente DOMINOU a qualificação, com o trio Augusto Farfus, Chaz Mostert e Marco Wittman. A equipe caiu pra segundo, tomou uma penalidade e 20 minutos depois já estavam em terceiro. Mas voltaram a cair de posições, para sexto, pois o carro começou a perder rendimento, igual outro BMW M6 da Laser Racing. Chaz, o menino australiano sangue no zóio simplesmente acabou com a corrida da Schnitzer ao tentar realizar uma ultrapassagem um tanto quanto afoita na ultima curva antes da grande reta oposta, causando um grande acidente, acabando com a corrida de um Porsche que não tinha nada a ver com a história. Isso abriu espaço para o Audi R8 LMS da WRT conquistar o caneco, seguido de uma Mercedes AMG GT3, e, pasmem, quatro Porsches 911 GT3-R, que não tinham ido nada bem no qualify. Porsche não quebra.

Faltando os 15 minutos para o final da corrida, um acidente simplesmente ESPETACULAR no início da subida do monte, fez a corrida terminar antes do tempo. Um Audi R8 se complicou com um carro de categoria inferior ao tentar ultrapassá-lo e ficou ocupando metade da pista, numa curva em subida, cega. Uma Mercedes GT3  não viu o carro a tempo de desviar, mas evitou uma batida em T, e mesmo assim, o acidente foi a 200km/h e assustou demais.

Bathurst 12 Hours foi tudo que Daytona não foi: uma prova com muitas relargadas e várias disputas por posições. Nossa próxima prova do calendária será a clássica 12 horas de Sebring, que terá uma prova a parte no WEC ano que vem. Volto com mais updates mês que vem galera. Abraços!