Novo Peugeot 508 ficou menor e (muito) mais bonito

Com exceção dos modelos compactos como 108, 208 e 2008, todos os carros médios e grandes da Peugeot já utilizam a premiadíssima plataforma EMP2 menos o sedã grande 508. Até agora.

Após alguns vazamentos a fabricante francesa resolveu lançar de vez a renovação do seu maior sedã. O novo Peugeot 508 ganhou um visual com pegada fastback, assim como o Civic 10, e frente inspirada no Peugeot Instinct, aquele conceito que apareceu no Salão de Genebra do ano passado. As molduras das portas e a coluna B estão mais discretas, semelhantes ao que a gente já encontra no Volkswagen Arteon.

A frente é assumidamente inspirada no Peugeot Instinct, conceito do ano passado

Não podemos deixar de falar da assinatura ótica, tanto frontal quanto traseira. Se na frente os faróis aparentam mais diferentões em relação ao resto da linha, com o traço de LED vertical e a grade com pontos cromados lembrando 3008 e 5008, atrás a inspiração claramente vem dos novos SUVs da marca. Mas na parte da frente o que destoa do conjunto é o nome “508” onde num Mercedes habitaria a estrela de três pontos da marca. Estranho num Peugeot.

A traseira tem clara inspiração na dupla 3008/5008

O sedã perdeu o porte de barca que tinha no modelo anterior, até porque a ideia da Peugeot não é mais a de ter um sedã grande e sim de ter uma opção fastback. O comprimento total caiu de 4,79 m para 4,75 m, enquanto que o entre-eixos foi de 2,81 m para 2,77 m. O porta-malas também teve um corte, de 515 litros para 487 litros. O lado bom disso tudo é que o peso também caiu, de 1.410 kg para 1.340 kg. E o visual mais esportivo não ganhou apenas com a redução dos balanços dianteiro e traseiro, mas também com a adoção de uma suspensão multilink no eixo de trás.

O i-Cockpit é o diferencial da Peugeot

O interior recebe o i-Cockpit e aí temos o diferencial da Peugeot em relação aos concorrentes. Volante de diâmetro reduzido com bases achatadas, comandos semelhantes ao que encontramos na aeronáutica, painel de instrumentos feito em LCD de 12,3″ num nível mais alto, câmbio em formato de joystick e um banho de aço escovado por toda a parte. Por ser um sedã de luxo, também contamos com a presença dos bancos elétricos e com massageadores da dupla 3008/5008. E o sistema de som é da Focal com uma multimídia capacitiva de 10″, vale lembrar.

O interior ficou mais tecnológico

Mas não pára por aí: com o novo i-Cockpit Amplify você pode personalizar a cabine de acordo com o seu gosto. No modo Boost você tem uma ambientação que remete à esportividade, tanto no painel quanto na iluminação, na massagem dos bancos dianteiros e no som. Enquanto isso, o modo Relax tira este peso do interior para uma condução mais conservadora.

O câmbio em formato de joystick chegou no 508

O interior ainda pode receber couro Nappa ou Alcantara, madeira natural, carvalho cinza ou Zebrano e ainda há um compartimento de 32 litros entre os bancos dianteiros que serve como frigobar. O teto solar panorâmico dessa vez abre, finalmente.

Na segurança o sedã conta com os mesmos itens que encontramos no 3008 Griffe Pack vendido em terras nacionais. Coisas como farol alto automático, monitoramento em 360º, controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão, fadiga e faixa, estacionamento automático e visor noturno estão disponíveis no novo 508.

O powertrain permanece com o 1.6 THP e a caixa automática, agora de 8 velocidades. Não que isso seja ruim, é um conjunto muito sólido e que ainda tem muita lenha pra queimar. Mas a compra da Opel pela PSA nos fez ter esperança de encontrar um ECOTEC turbo de maior deslocamento no cofre deste Peugeot. Não foi dessa vez.

Mesmo assim, a potência está na casa dos 180 cv ou 225 cv a depender da configuração. Há motores a diesel de 1,5 ou 2,0 litros, que entregam 130 cv, 160 cv e 180 cv.

A versão GT é a topo de linha do modelo

A apresentação global do novo 508 fica marcada para o Salão de Genebra deste ano e o preço ainda não foi definido.