Carros do Staff – Conheçam o Peugeot 206 de Maycon Tavares

Falaí galera GearHead, hoje estamos postando mais um projeto do Carros da Galera! Além de nos aproximarmos de vocês, isso fará com que todos possam conhecer outros carros, ver diversos pontos de vista em cima do mesmo, despertar aquela paixão escondida meio renegada e até mesmo tirar aquela dúvida final, aquele detalhe que faltava para te animar na compra do veículo!

Lembramos que não queremos apenas os projetos mais absurdos, qualquer um pode participar, o foco aqui é na sua história com seu carro ou outros carros, queremos conhecer nossos leitores também! Hoje traremos para vocês a história do quebrador de bieletas mais famoso do país, aquele que adora entortar o eixo traseiro e que tem a suspensão mais frágil que porcelana. Com vocês a história de Maycon Tavares seu Peugeot 206.

Quase todos os editores aqui do site já participaram aqui do Carros da Galera, e várias vezes fui cobrado para participar também mas sempre ia postergando para postar apenas quando meu projeto estivesse relativamente pronto ou pelo menos que algumas etapas já estivessem sido concluídas, adiei o máximo que pude, apesar de muito feliz com o carro eu ainda não me sentia confortável o suficiente para participar aqui.

Minha história com o 206 começou ainda em Novembro de 2015, eu tinha um Palio 98 EDX, gostava do carro, porém ele estava começando a dar mais problemas do que eu conseguia arrumar, e também comecei a ficar cansado dele, queria algo melhor, mais confortável e mais potente. Comecei a procurar carros com um único pensamento em mente: Não quero um carro 1.0 e com isso iniciei minha busca em algumas lojas da região além de ficar procurando carros na internet, e opções de busca não faltaram, olhei Palio Weekend, Palio 1.5, Celta 1.4, até um Marea 1.6 16v cheguei a ver (sim eu gosto bastante dessas bombas), até que encontrei o 206 1.6 16v num preço bacana, o cara da loja também ofereceu um bom valor no Palio. Então fui para casa pensar e confesso a vocês que fiquei dias sem dormir até que um belo dia, resolvo pedir para meu chefe me liberar mais cedo e fui atrás de fechar negócio no Peugeot.

Sai do trabalho, fui atrás de alguns documentos e algumas horas depois, contrato assinado e eu me tornaria o feliz proprietário de um 206 1.6 16v Soleil 2001, mas infelizmente não pude sair com ele no mesmo dia, o carro precisou ficar na loja para algumas manutenções e tive que aguardar umas 3 semanas para pega-lo, até que no dia 23 de Dezembro de 2015 o vendedor da loja me liga avisando para ir buscar o 206. Feliz da vida tirei todas as minhas tralhas de dentro do Palio, chamei um amigo para ir comigo e fomos lá buscar o pequeno francês. Pois bem, peguei o carro, bati na chave, parei no primeiro posto que encontrei e abasteci o carro, quando entro na rodovia para voltar para casa percebo que o velocímetro não estava funcionando, então não pude testar muito bem sua velocidade, mas na hora já me apaixonei pela sua potência quase que instantânea, eu não podia ter um presente de Natal melhor.

O dia da despedida do Palio.

Cheguei em casa e a primeira coisa a fazer foi colar os adesivos do Amigos GearHeads para deixa-lo minha cara e poder identifica-lo em qualquer lugar que fosse. Algum tempo depois deixei o carro na loja onde o comprei para arrumar pequenos problemas cobertos pela garantia, fiquei mais uma semana sem o carro e quando peguei de novo, estava tudo certo. Curti o carro por um bom tempo sem problemas graves, só um problema na bomba de combustível me deixou sem carro por alguns dias, mas logo foi resolvido também até que alguns meses depois ao sair do trabalho, engatei a ré e na hora que soltei a embreagem o cambio desengata e não entrava mais nenhuma marcha, tive que deixar o carro na empresa para mandar um guincho busca-lo no dia seguinte. Entre vários problemas identificados pelo mecânico acabei gastando em torno de R$ 1.500,00 para deixar o cambio zero e até a embreagem trocamos.

Com esses problemas resolvidos, comecei a fazer as manutenções de rotina e outras por precaução, primeiro fiz o kit motor, troquei correia dentada, correia de acessórios, óleo e filtros, velas, bobina e deixei o motor redondo e com garantias de que não terias dores de cabeça. Depois foi a vez de dar uma ajeitada na suspensão, troquei praticamente tudo, única coisa que mantive foi apenas molas e amortecedores (que ainda estavam muito bons) e sim eu troquei as bieletas. Depois disso foi fazer alinhamento e balanceamento e ótimo, voltei a curtir o carro sem maiores problemas ou dores de cabeça que me fizessem ficar parado. Então comecei a alterar algumas coisas, primeiro instalei um Tow Strape no parachoque dianteiro para dar aquele aspecto “reissing” pro carro e algum tempo depois instalei um intermediário da JK e um abafador final da Race Chrome que acabou caindo depois de 2 semanas e fiquei quase 1 ano sem, diretaão e confesso que não me importava muito com o barulho (mas minha esposa reclamava praticamente todos os dias).

O dia em que instalei o Tow Strape

Tudo ia bem, mesmo sem escape, o carro anda tranquilo e sempre bastante econômico, até que no final de agosto de 2017 tive um furo no radiador e acabei trocando ele por um outro usado que peguei com um amigo meu. Mas uma semana depois comecei a ter problemas de aquecimento com o carro, deixei na oficina para descobrir o problema e acabamos trocando praticamente tudo, bomba d’agua, válvula termostática, sensor de temperatura, cheguei até a fazer o cabeçote e nada resolvia o problema até que um mês depois que o carro já estava parado resolvi tirar ele daquela oficina e mandei para outra e no final o problema era o radiador que tinha pego que estava com um dos caminhos quase entupido. Pois é, acabei gastando uma puta grana mas pelo menos deixei vários componentes novos, ah e também arrumei o escapamento.

Quando instalei o escapamento novamente.

Mas depois desse dia, o carro já não era mais o mesmo, o velocímetro parou de funcionar, o carro estava falhando muito em baixas rotações e volta e meia a TBI “travava” a aceleração e um tempo depois começou a piscar a luz de óleo, porém a bomba funcionava normalmente, o motor não baixava óleo, acreditava que ser algum problema no sensor de óleo e já estava planejando parar o carro para resolver todos estes problemas.

Quando finalmente o carro saiu da oficina depois dos problemas de aquecimento

Minha ideia inicial sempre foi deixar o 206 com a mecânica em dia, deixar ele confiável o bastante para fazer uma longa viagem e até para um track day e era nisso que estava focado, consertar todo e qualquer problema mecânico para aí sim mexer na estética. Tinha uma ideia em mente de um projeto meio “all show no go”, um aspecto mais esportivo, mas sem potência absurda, até porque é meu carro de dia-a-dia, queria deixa-o bonito e ideias não paravam de surgir na mente.

É aqui que a história começa a ficar triste. No dia 20 de Março deste ano, um incidente mudou tudo. Eu estava saindo do trabalho, uma chuva torrencial acabou alagando um trecho da rodovia que pego para ir para casa, ao chegar no trecho alagado, vi que a água estava baixa, nem batia no parachoque, na minha frente havia um caminhão e um Ford Ka, vi que quando eles passavam a água abaixava um pouco e fui sem medo, quando do nada um outro carro me corta, mas aí já não havia mais volta continuei passando e tudo ia tranquilo, aceleração fixa a 3 mil rpm, até que do nada um carro vem pela direita, passando todo mundo e jogando água pra cima de quem passava pela esquerda (onde a água estava mais baixa), nisso a água subiu um pouco e como o filtro de ar desse na dianteira do parachoque, o 206 acabou sugando muita água. Do nada o carro morre e não liga mais, desço do carro, empurro ele para fora da água e fico aguardando socorro que chegou apenas as 4 da manhã. Na manhã seguinte deixo o carro em uma oficina e aguardo para saber o resultado.

Na sexta-feira o mecânico me liga, pede para eu ir lá para conversarmos. Chegando lá, ele me mostra o resultado, uma biela torta, necessidade de retificar o virabrequim e trocar praticamente todos os componentes internos do motor. O preço? “Apenas” R$ 3.500,00. Na hora meu mundo cai, eu não tenho esse dinheiro e nem previsão de tê-lo, tentei pensar em algumas alternativas e até me passou pela cabeça em levar o carro para casa e deixa-lo desmontado enquanto aos poucos eu ia comprando as peças e depois o montaria, mas vi que não valeria a pena e poderia demorar mais tempo do que eu esperava e além de tudo, minha esposa está desempregada, pagamos aluguel, ou seja, os gastos tem que ser minimizados. Passei duas semanas pensando no que fazer e então por conselho do meu pai, resolvi anunciar o carro pelo preço que faltava para quitar o carro e com muita dor no coração eu o fiz.

O anuncio do carro, onde na descrição já explicava tudo o que tinha acontecido.

No mesmo dia que criei o anúncio, apareceu um interessado, conversamos, expliquei o que aconteceu, ele pediu para ver o carro, conversamos mais um pouco e ontem (05) batemos o martelo. [Aquela vontade de chorar, olhos cheio de lágrimas, coração mais apertado que busão lotado as 18:00 de um dia chuvoso]. O comprador ficará com o 206, irá quitar o carro e se resolverá com o mecânico para arruma-lo.

Essa é minha história com meu 206, eu nunca pensei que teria que vende-lo tão cedo, minha ideia era passar ainda mais tempo com ele, e nunca pensei que pudesse ficar tão triste com sua partida, Sinto como se algo fosse arrancado de minhas mãos e ele vai embora sem nem ao menos eu poder me despedir. Sei que muitos vão me criticar e dizer que é apenas um carro, um bem material ou algo do tipo, mas também sei que muitos vão entender minha tristeza. Eu como GearHead considero a partida dele como algo maior e entender o coração de um GearHead não é fácil. Eu sei que foi o melhor pra mim, estou me “livrando” de um grande problema, mas não é só isso, uma parte do meu coração vai com ele, apesar de tudo ele me trouxe várias e várias alegrias, muitas risadas e perder algo assim não é fácil, ele era minha válvula de escape quando estava estressado, ele era o que me faz ser GearHead. Me inspirou várias e várias vezes para escrever aqui no site e fazia eu tornar cada dia mais GearHead. Não sei quantos de vocês lerão isso e entenderão mas é isso, hoje o coração de um GearHead está vazio, triste e desconsolado, confesso até que estou perdido em o que fazer daqui pra frente e não consigo mais escrever pois estou chorando mais que criança quando deixa cair um doce. Valeu galera.

Esta foi a última foto que tirei dele, já na oficina depois da enchente.

E por hoje foi só pessoal! Essa foi a história do Maycon e seu ex-206. E se você quer participar do Carros da Galera é só mandar um e-mail para contato@amigosgearheads.com.br. Lembrando que o carro da semana sempre será a capa do nosso Facebook. Esperamos que todos tenham gostado e semana que vem tem mais! Para ler sobre outros carros que participaram aqui do carros da galera, clique aqui.

Todas as informações aqui veiculadas são de total responsabilidade do autor das respostas e elas não necessariamente representarão a opinião do Amigos GearHeads.