Por que os motores Diesel fazem mais barulho?

Os motores que utilizam o combustível diesel tem um barulho característico, por isso é fácil distinguir uma caminhonete Diesel de uma gasolina nas ruas. Mas você sabe o por quê disso?

O combustível favorito do Dieselgate

Existem dois fatores que contribuem para a aspereza de funcionamento num motor a diesel, quando se comparado ao motor a gasolina: a ignição por compressão e o sistema de injeção utilizado.

Como vocês já devem saber, o motor Diesel não usa velas. A razão entre ar/combustível na mistura é tão maior que no motor de ciclo Otto que sua ignição se dá somente pela compressão, sem precisar da faísca. A vantagem disso está na força em baixas rotações, mas esse aumento repentino de pressão na câmara de combustão traz o barulho característico que conhecemos nos motores a diesel.

A D10 que seu tio usava na feira usa bomba injetora

O outro culpado está no sistema de injeção. Os motores mais antigos utilizam o sistema de bomba injetora, que funciona imerso no próprio combustível e manda uma injeção mecânica nos pistões. Como o sistema é dimensionado para fornecer alta pressão na agulha dos bicos injetores (cerca de 2.000 bar de pressão), a contrapressão do ar no interior do cilindro já comprimido é vencida facilmente.

As vantagens desse sistema se encontram no funcionamento mais esportivo da injeção de combustível e no baixo consumo, mas os poluentes produzidos por esse esquema fizeram ele tornar-se uma opção cada vez menos presente nos veículos leves. O outro detalhe, que é o abordado neste texto, está no ruído excessivo produzido pela bomba injetora, bem característico de caminhonetes a diesel dos anos 90.

O Renegade, disponível Flex ou Diesel, utiliza o sistema Common Rail nas versões 4×4

Carros como o FIAT Toro ou o Jeep Renegade utilizam o sistema Common Rail de injeção, que não produz aquele mesmo barulho tão característico (por isso eles parecem mais suaves no funcionamento do que uma picape média tradicional). A injeção common rail utiliza uma bomba de alta pressão para fornecer combustível à um tubo distribuidor (algo semelhante a flauta de injeção no motor a gasolina) com pressão constante independente da rotação. A partir entram alguns conceitos como válvulas magnéticas na cabeça dos injetores e outras coisas que eu não entendo, porque mecânica a Diesel pra mim é bruxaria (como pode explosão sem faísca?).

Diesel com TBI: perceba o corpo de borboleta atrás do coletor de admissão do motor 2.4 Multijet da FCA

Esses carros mais novos utilizam o corpo de borboleta, conhecido também como TBI. Ao contrário do motor de ciclo Otto, o motor Diesel trabalha com excesso de ar e o controle do acelerador é feito pela injeção, sendo o TBI desnecessário. Mas a solução do corpo de borboleta na admissão reduz as contrapressões do motor durante o desligamento, fornecendo uma parada muito mais suave já que o motor não vai mais chacoalhar como uma britadeira. Em todas as outras situações o TBI fica aberto sempre no máximo.

O corte por TBI também diminui e muito as probabilidades do motor disparar, situação razoavelmente comum em carros a diesel bem rodados.