O Porsche 911 GT3 RS é mais rápido que o 918 Spyder

O último dos 911 aspirados atingiu sua mais nova façanha às 11:40 do dia 16 de abril. A Porsche confirmou neste fim de semana que o GT3 RS é o terceiro carro da marca alemã a estrangular Nürburgring Nordschleife em menos de 7 minutos. São 6’56,4″ contra 6’57” do 918 Spyder e 6’47,3″ do 911 GT2 RS.

E por quê 6’56,4″ é um número tão estarrecedor se há carros mais rápidos? Bem, e se eu te contar que a geração anterior deste carro que vos falo fez o mesmo percurso 24 segundos mais lento? Aí o cenário muda, não é mesmo?

Lars e Kévin ao lado do GT3 RS

O piloto de fábrica Lars Kern participou ativamente do desenvolvimento do carro, mas quem deu o recorde foi Kévin Estre. Ambos deram quatro voltas nos 26,6 km do Inferno Verde, sempre com tempos abaixo dos 7 minutos, e, apesar da constância, alguns décimos de diferença fizeram a coroa ir para Estre. O mesmo ainda afirmou que o desempenho do GT3 RS em frenagens e curvas de alta eram próximos aos do GT3 R, modelo assumidamente de corrida.

GT… What?

No GT2 RS temos 700 cv a 7.000 rpm e 76,5 kgfm a 2.500 rpm com corte em 7.200 rpm. São 2,8 segundos para chegar em 100 km/h com máxima limitada em 340 km/h. No GT3 RS são apenas 520 cv a 8.250 rpm e 47,93 kgfm a 6.000 rpm, mas o corte chega às 9.000 rpm. O 0 a 100 é cumprido em 3,2 segundos e a máxima é de 312 km/h. A diferença de desempenho é justificada nos motores, chega a ser injusto comparar um 3.8 twin-turbo contra um 4.0 aspirado.

O 911 do recorde usa pneus que ainda não estão a venda, mas já foram homologados

Os pneus do GT3 RS são os Michelin Pilot Sport Cup 2 R e têm medidas 265/35 R20 na frente e 325/30 R21 atrás, mesmos números do GT2 RS. Esses pneus ainda não são vendidos mas já foram homologados.

Mas além dos números, qual a diferença real entre o GT2 RS e o GT3 RS?

O GT3 RS é aspirado, o GT2 RS é turbo. Será que é simples assim?

Enquanto o GT2 RS entrega o que há de mais moderno em tecnologia no 911 para extrair o máximo de desempenho possível, o GT3 RS segue a escola da aspiração natural para entregar uma experiência ainda mais conectada como piloto. Ou, como um amigo meu prefere diferenciar, os “GT2 são turbo e os GT3 não”.

“Vocês querem um post dedicado ao 911?”

Ainda há o GTS, o GT3 R, o GT3 RSR… Mas desses falarei num post dedicado ao 911 que farei em breve. O que fica para hoje é a história de um esportivo aspirado que é mais rápido que um hipercarro híbrido, ecologicamente correto e caríssimo de 5 anos atrás.