O Jaguar E-Type da realeza trocou o V12 pela eletricidade

O E-Type é considerado por muitos como “o carro mais bonito já fabricado”, palavras do próprio Enzo Ferrari. Então é natural que ele roube a cena toda vez que faz uma aparição, certo? Pois foi o que aconteceu após a cerimônia real, quando o príncipe Harry e a ex-atriz Meghan Markle deixaram o castelo de Windsor neste sábado (19). Só que o belíssimo Jaguar na cor azul não era um E-Type comum (e não estou falando apenas da placa E190518, personalizada e que faz referência à data da cerimônia).

O modelo é de 1968, último ano do E-Type Series 1. Mas a SVO trouxe alterações onde não podemos enxergar com apenas esta foto.

O modelo utilizado no casamento trata-se de um E-Type Roadster 1968, que recebeu um kit para funcionar com energia elétrica feito e montado pela própria Jaguar. O projeto é conhecido como “E-Type Zero” e não requer adaptações na carroceria para seu funcionamento: até mesmo o diferencial traseiro é aproveitado do modelo à combustão.

A mala foi adaptada para receber o novo conjunto

A Special Vehicle Operations (SVO), divisão de projetos especiais do grupo Jaguar Land Rover, ficou encarregada de projetar o modelo. Apesar de também ter sido equipado com um V12, o modelo em questão tinha originalmente um seis cilindros de 4,2 litros, 269 cv a 5.400 rpm e 39,3 kgfm a 4.000 rpm. O mesmo foi trocado por um motor elétrico de 299 cv a 1 rpm.

O powertrain foi construído pensado na carroceria original

A bateria, de íons de lítio, tem dimensões semelhantes ao motor original, tornando a distribuição de peso igual ao original. E não foi só isso, o carro ainda ficou 45 kg mais leve com o novo trem de força.

O bocal de abastecimento deu espaço para uma tomada

A aceleração até 100 km/h é feita em apenas 5,5 segundos. Para você ter como parâmetro, o E-Type mais forte de todos, o V12 de 1971, acelera de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos. A máxima, de 160 km/h (limitada eletronicamente) é atingida em apenas 10 segundos. Já a autonomia é de 270 quilômetros e sua recarga é feita em até seis horas numa tomada convencional.

O interior mescla elementos modernos com o desenho clássico

O interior recebeu painel em fibra de carbono, iluminação em LED e diversos itens encontrados nos carros atuais da Jaguar. Isso inclui a central multimídia, o painel de instrumentos em LCD e até mesmo o charmoso joystick de acionamento do câmbio. Perto do E-Type, o Rolls-Royce Phantom IV 1950 que a noiva chegou até a igreja pareceu bem chato.