Ducati finalmente vende a Monster 797 no Brasil

Ducati começa a vender Monster 797 no Brasil com o mesmo motor (e preço) da Scrambler

Novidade anunciada no Salão Duas Rodas do ano passado demorou, mas chegou. Mas só a mecânica é a mesma da “prima” clássica

Já se vão 25 anos desde que Miguel Angel Galluzzi viu a sua criação, a Ducati Monster, sair do papel e começar a ser vendida. Para o designer, “moto só precisa ter tanque, motor, duas rodas e um guidão”. E com esse pensamento de simplicidades, a marca emplacou um de seus maiores sucessos: uma naked intermediária para todos os gostos. Agora, em 2018, a Monster 797 chega em sua mais nova encarnação ao mercado brasileiro e custa R$ 39.900.

Antes de qualquer coisa, vale lembrar que a Ducati já tinha mostrado a Monster 797 no Salão Duas Rodas de 2017 e a promessa era de que a novidade chegava nas lojas da marca ainda em janeiro de 2018. Estamos em maio e só agora a moto chegou.

Motor da Scrambler e preço parecido

Para uma moto de mais de 800 cm³, R$ 40 mil não é um preço elevado considerando, claro, a comparação com modelos similares. Mas ela também traz apenas um pouco além do esperado. Tem ABS, um bonito painel de instrumentos digital, suspensão invertida, bons freios e é mais ou menos isso só.

Um dos segredos do preço mais para a porção baixa da tabela é o motor. O mesmo propulsor em “L” com 803 cm³ da Scrambler. Até por isso os preços são bem similares, com a Scrambler mais barata saindo por R$ 38.900, R$ 1 mil a menos.

E daí?

E daí que num mercado como o nosso, que, pelo menos para as motos, está caindo de bico há anos, é sempre bom ver caras novas chegando. Tudo bem que o mercado premium não foi tão afetado, mas mesmo assim.

A pegada da Monster sempre foi ser uma naked simples, “back to basics” mesmo. E continua sendo. Além de ser bonita e usar apenas componentes de primeira.

Ficha Técnica

Motor: 803 cm³, bicilíndrico em L, 2 válvulas por cilindro;
Potência: 75 cv (a 8.250 rpm);
Torque: 6,8 kgfm (a 5.750 rpm);
Arrefecimento: Ar;
Alimentação: Injeção eletrônica;
Câmbio: Sequencial de seis marchas. Transmissão final por corrente;
Suspensão Dianteira: Garfo invertido (marca Kayaba), 130 mm de curso;
Suspensão Traseira: Monoamortecido (marca Sachs), 150 mm de curso, ajuste de retorno e pré-carga;
Freio dianteiro: Disco duplo de 320 mm de diâmetro, pinças de 4 pistões (marca Brembo) e sistema ABS;
Freio traseiro: Disco único de 245 mm com pinça de pistão único e sistema ABS;
Rodas: 17 polegadas na dianteira e na traseira;
Pneus: Pirelli Diablo Rosso II, 120/70 ZR 17 (frente), 180/55 ZR 17 (traseira);
Tanque: 16,5 litros;
Peso total: 193 kg;
Cores: Vermelho (Ducati Red) com quadro vermelho e rodas pretas / Branco perolizado fosco (Star White Silk) com quadro vermelho e rodas vermelhas.


O texto acima é contribuição de um Amigo GearHead que está há muitos anos no ramo automotivo. E se você tiver algum texto ou algo que acharia interessante ser publicado aqui, nos mande um e-mail: contato@amigosgearheads.com.br.