BMW iX3 e Nissan e-NV200 – dominância elétrica

Em dias de Mad Max no Brasil, com combustível mais escasso do que tudo na vida, o pessoal dos carros movidos a pilha estão cada vez mais, melhorando a tecnologia para as massas. De um lado, temos a Nissan oferecendo uma van elétrica no Japão com maior autonomia e a BMW expandindo a produção de baterias na China.

A Nissan agora oferece a nova e-NV200, com uma bateria mais densa para oferecer maior autonomia lá no Japão. A nova bateria de 40kWh faz com que a van tenha uma autonomia de 300 quilômetros antes que você precise usar aquele carregador portátil que fica jogado dentro da mochila/bolsa/sacola. A carga pode ser completada em oito horas em tomadas normais.

Uma excelente sacada da Nissan para a van foi fazê-lá como uma estação de energia, onde você pode plugar qualquer equipamento e usar a bateria da van onde 1.000 watts de energia podem ser acessados por até 15 horas para o que for necessário. Também oferecem uma garantia estendida para oito anos e 160 mil quilômetros, ao invés dos 100 mil quilômetros e 5 anos oferecidos anteriormente.

Do outro lado, na China, a BMW está expandindo ainda mais a sua produção de baterias para veículos elétricos e semi-elétricos. A fábrica está se adaptando para a produção da quinta geração da tecnologia BMW eDrive, para o futuro modelo totalmente elétrico, iX3, no qual virá ao mercado em 2020.

Em 2017, a BMW mais que dobrou as vendas de veículos elétricos na China. Chegando a oferecer 6 modelos eletrificados no mercado premium atualmente. A expansão para fabricação de mais baterias é um passo certeiro em direção ao futuro e mostra o quanto a BMW está focada na China.

Na Alemanha, a BMW já conta com três plantas para produção de baterias e só tende a aumentar. Algo útil nas linhas de produções é que eles já tem um planejamento para entregarem na mesma linha, um veículo elétrico, híbrido ou movido apenas por dinossauros. Diminuindo custos e complicações na produção dos veículos.

Com dois exemplos distintos de o que veículos elétricos podem gerar para o consumidor, buscando ele um instrumento de trabalho ou aquela lasanha para o final de semana, como seriamos com maior disponibilidade de veículos que não sejam dependentes de combustíveis fósseis? Poderíamos deixar de pagar os preços abusivos que pagamos pelo combustível de baixa qualidade? Existiria a possibilidade de um Brasil melhor, mais limpo e sustentável?

Poderíamos ter uma mobilidade elétrica para o dia-a-dia e nós, GearHeads com gasolina na veia, teríamos a nossa tão amada lasanha para os fins de semana ou ocasiões especiais. Má ideia?