Fila monaguesca – Pitacos F1

Mônaco é aquele circuito onde tem apenas dois tipos de corrida, as boas ou as ruins, não há meio termo, é ame-o ou odeio-o e sempre que tem uma corrida chata lá, logo os detratores da F1 começam a gritar aos quatro cantos do mundo: “Tirem Mônaco do calendário…não sei porque ainda isistem em correr lá…” e por aí vai, e quando a corrida é muito boa, os mesmos que reclamam começam a dizer que Mônaco jamais pode sair do calendário, que um circuito histórico como esse deve continuar para sempre. Gente, se decidam.

Pois bem, o GP deste ano não foi a primazia em emoção e com certeza já tivemos corrida melhores, mas a corrida não foi toda de se desperdiçar. Tivemos um Max Verstappen largando da última posição e tendo de fazer uma corrida de recuperação (que foi muito bonita e muito boa, devemos admitir) e em certa altura da prova Ricciardo começou a ter problemas em seu carro que poderiam fazer com que ele abandonasse a qualquer momento, o que não aconteceu, mas manteve aquela esperança (principalmente nos fãs de Ferrari) bem acesa.

Ricciardo teve uma vitória bem dramática e segurou Vettel realmente no braço, e por mais que muitos digam que em Mônaco é muitoo difícil de ultrapassar, não é qualquer piloto que consegue manter um ritmo tão bom quanto o australiano manteve sem estragar ainda mais o carro. Ricciardo não forçou, soube economizar quando necessário e vence de maneira extremamente merecedora. Verstappen por outro lado estragou sua corrida no dia anterior ao bater seu carro no final do último treino livre e sua equipe não ter tempo suficiente para reconstruir seu carro, acabou largando da última posição e fez uma ótima corrida de recuperação num circuito em que as ultrapassagens não é a coisa mais fácil do mundo, mas mesmo assim conseguiu chegar na nona posição e salvar alguns pontos para a equipe e minimizou o prejuízo.

Em segundo, Vettel fez uma corrida digamos que discreta, mesmo com os problemas de Ricciardo o alemão não ensaiou nenhum ataque sobre o australiano para tentar a vitória, fez uma corrida cautelosa (até demais alguns vão dizer) e preferiu não se arriscar e conseguiu alguns pontos para reduzir a distância para Hamilton no campeonato. Já Raikkonen também não ensaiou nenhum ataque em cima de Hamilton, ficou ali na quarta posição e no final da corrida até viu Bottas diminuir bastante a diferença mas não mudou muita coisa.

Em terceiro Hamilton disse que a corrida foi sem graça e sonolenta, e foi mesmo, ele mesmo não chegou a tentar ultrapassar Vettel e ficou ali acomodado para garantir seu lugar no pódio e só chegou em Vettel porque Ricciardo enfrentava problemas e imprimia um ritmo muito lento na prova. Assim como Bottas que chegou em quinto e como disse no parágrafo acima, apesar de chegar com mais carro em Raikkonen também não fez nada de mais para tentar ultrapassar o compatriota.

Em sexto Ocon trouxe um ótimo resultado para a Force India que vem sofrendo este ano com um carro ainda não muito bom, acaba terminando como melhor do resto e salva preciosos pontos para a equipe, mas também escancara que a Mercedes praticamente manda na Force India com suas declarações recentes de que a Force India e Mercedes possam estar fazendo jogo de equipe para beneficiar sua fornecedora de motores. Perez terminou apenas na décima primeira posição com uma corrida extramente apagada e só apareceu na transmissão quando entrava nos boxes.

Pierre Gasly fez uma ótima corrida pela Toro Rosso, fez uma ótima classificação chegando ao Q3 e ficou a corrida inteira livre de problemas e com uma estratégia de alongar ao máximo sua parada, chega aos pontos novamente com o motor Honda que todos diziam que apenas iria dar problemas. Hartley infelizmente não conseguiu terminar a corrida, mas também vinha apagado e fazendo uma corrida fraca até que Leclerc o acertou em cheio quando o monegasco ficou sem freio e acabou abandonando.

Na oitava posição, Hulkenberg finalmente consegue terminar uma corrida, depois de bater sozinho em Baku e ser acertado por Grosjean em Barcelona, o alemão conseguiu levar o carro da Renault até onde pode, apesar de ter um chassi e motor melhor que o da Toro Rosso ainda assim impressiona pelo resultado alcançado. Sainz Jr também fez uma ótima prova, soube escoher o momento certo para ceder posição a Hulkenberg soube fazer ótimas defesas de posições contra Verstappen, porém já não tinha mais pneus e o holandês estava com muito mais carro que ele.

Fotos por Motorsport.

E para vocês se deliciarem, o famoso gráfico da Pirelli com consumo e tempos de cada pneus durante a corrida.