Silly Season AGH de Formula 1

A cúpula do Amigos GearHeads se juntou para discutir algo muito importante para o nosso futuro! Com ajuda de cartomantes e bolas de cristal, conseguimos então, descobrir os próximos passos das equipes e pilotos da Fórmula 1.

Ps.: Não recomendamos a leitura desse texto sobre a influência de entorpecentes

Iremos discutir sobre cada equipe e seus respectivos funcionários pilotos, acompanhe com a gente e não nos xingue muito, afinal estamos apenas brincando com as inúmeras possibilidades do que poderia acontecer na próxima temporada de Formula 1;

Ferrari

Na Ferrari, tudo pode acontecer, com uma peça decisiva no quebra-cabeça da F1, com Kimi Raikkonen tendo ou não sua aposentadoria ou então indo para McLaren. Rumores sobre um contrato com a McLaren nos parece muita ficção científica, porém não podemos descartar nada. Caso ele anuncie sua aposentadoria na F1, ele abrirá uma vaga chave no mercado de pilotos, na qual poderia ser de muito bom uso do menino sorridente, Daniel Ricciardo ou então de Charles Leclerc.

Do outro lado do box, temos Sebastian Vettel que já sabemos ter contrato até 2020 e não irá abandonar as aulas de italiano tão cedo (afinal ele ainda tem muito a gritar “GRAZIE RAGAZZIII”).

mercedes

Aqui o quadro é incerto para todos, pois temos de um lado, o atual campeão de Formula 1, Lewis Hamilton, e do outro, um chamado de emergência que está tapando buraco deixado por Nico Rosberg com muita excelência e até destronando o número 44 algumas boas vezes essa temporada, mesmo quebrando durante a corrida.

O porém é que Hamilton e Bottas ainda não possuem contrato para 2019. O caso de Lewis é que ele não tem pressa para assinar o próximo contrato, provavelmente tentando entender o que será da Mercedes e pular do barco antes que ele afunde, ou o mais plausível, continuar na esquadra alemã, ou até mesmo pode estar com síndrome de estrelismo e quer ganhar mais do que já ganha (o que não é pouco). No caso de Valtteri, a situação é mais difícil, pois quem está sem pressa para assinar um contrato é a equipe e não o piloto, que tem que mostrar trabalho para continuar sentando os glúteos aonde está hoje.

Caso a Mercedes não assine com Bottas, quem poderia pegar seu lugar na equipe de fábrica seria o Esteban Ocon, que foi criado de baixo das asas da equipe alemã. O potencial de Ocon é alto e com muita consistência desde que entrou no mundo da F1, só o resta uma vaga de ponta.

Red Bull

Essa Red Bull terá a maioria dos holofotes daqui para frente, além de ter dois pilotos muito bons (sim, o Verstappen bateu bastante, não, ele não é ruim), ela também arriscou e assinou um contrato com a Honda! Largou os motores Renault e foi a procura de novos amores e prazeres resultados, só que Honda é Honda né, então apostar em algo agora é igual cuspir pra cima e esperar que bata uma ventania.

Max Verstappen já assinou seu longo contrato com a Red Bull Racing e não tem para onde escapar, irá sim usar os motores Honda, que só esperamos que continue nessa linha de crescimento que está tendo na Toro Rosso.

O nome mais falado no paddock, Daniel Ricciardo, está livre leve e solto, sem contrato e só absorvendo informações. Caso Kimi pule fore da Ferrari, ele com certeza irá buscar aquela vaga para ser companheiro de equipe de Sebastian Vettel e mostrar que é capaz de andar tão bem quanto o alemão. Ou, procuraria a vaga ainda não certa de Valtteri Bottas, podendo até impulsionar a aposentadoria de Lewis Hamilton na F1, ou reacender a vontade de vencer do britânico, que parece desacreditado nessa temporada. O número 3 é mais uma peça chave da próxima temporada e estamos esperando sua decisão. Nos últimos dias o que parece estar acontecendo é que; com a forte persuasão de Horner, é capaz que Ricciardo continue na RBR, porém com um salário um pouco mais alto que o atual.

McLaren

Aqui temos uma grande interrogação, um futuro muito caótico e conturbado. Quem aqui não é fã da McLaren? Quem aqui não está torcendo para ver o laranja papaya competir pela posição mais alta do pódio? Irá acontecer? Possivelmente não. Temos um histórico de criar expectativas sobre a equipe inglesa e nada acontecer, apenas promessas não cumpridas.

Com os pilotos, tudo pode acontecer, tudo vai depender se Alonso (agora campeão das 24 Horas de Le Mans) vai continuar na equipe para o ano que vem, mas considerando que o espanhol resolva dar mais uma chance ao time de Woking, temos um Vandoorne que não vem entregando lá ótimos resultados e talvez possa ser limado para dar lugar a Lando Norris (que ainda tem a cara cheia de espinhas).

Caso Alonso continue na Formula 1, temos como certo a troca de Stoffel por Lando, que vem mostrando ser um futuro campeão. Mas o Asturiano pode querer tirar um ano sabático da F1, voltando sua atenção para o final do campeonato do WEC (no qual termina com mais uma 24 horas de Le Mans, em junho de 2019) e iniciar sua carreira na Indy, com a talvez equipe da McLaren nas corridas americanas e focar na sua nova garota de Ipanema; Indy 500. Caso isso aconteça, podemos ver uma McLaren na F1 formada de Stoffel Vandoorne e Lando Norris.

RENAULT

Na Renault as coisas dificilmente mudarão, apesar de grandes promessas para o futuro, podemos esperar um 2019 um pouco melhor do que estão entregando hoje. Contarão com menos uma equipe para trocar informações sobre os motores, caso não arrumem outra e a evolução pode ter um leve declínio.

Hulkenberg não tem pra onde ir e nenhuma equipe grande olha pra ele mais, capaz até que aposente na Renault ou talvez até mesmo na Force India (que falaremos logo menos), pois Hulkenberg já não é nenhum novato, o tempo passa e todas as equipes grandes já tem seus pupilos já encaminhados em outras equipes.

O seu companheiro de equipe, Carlos Sainz Jr. (o pai é um tremendo campeão, procura ai) está apenas esperando o Ricciardo fazer seu movimento, pois ele virá logo atrás para tomar o seu lugar na Red Bull, na qual fez parte desde o início do seu programa de pilotos. Caso Raikkonen não aposente, Ricciardo não tome o lugar de Valtteri e continue com a equipe do energético, sabemos que Sainz tem seu lugar mais que certo na Renault.

FORCE INDIA

Na Force India outro jogo que pode mudar, caso o já citado acima, Bottas fizer alguma grande cagad*, Ocon possa talvez assumir seu lugar. Tudo isso, claro dependendo de todas as outras peças desse quebra-cabeça, mas ele é sim um forte candidato a vaga no time prateado.

Já Sérgio Perez podemos dizer que esta em fim de carreira, não que ele ainda não seja um bom piloto, pelo contrário, mas ele já se queimou bastante quando desprezou a academia Ferrari querendo pular um degrau na carreira e se arriscar indo para a Mclaren, aí fez aquele monte de besteira, brigou com o cara mais amigável do paddock, Jenson Button e logicamente foi despedido e teve que ir para Force India, onde até que vem fazendo um bom trabalho, mas depois…

Mas aí que tá, mesmo que o Ocon saia da Force India, sobra quem? O querido de Toto Wolff, o atual líder da F2, George Russel! Ele é um nome bem cotado para um assento em alguma equipe que use motores Mercedes. Além de ser um ótimo piloto, ele já faz sessões de treino livre com a Mercedes e a Force India. Só falta mesmo é o contrato.

Toro Rosso

Essa Toro Rosso comandada pelo Helmut Marko está cada vez mais difícil de conseguir bons pilotos. Após o fracasso total da academia de pilotos da Red Bull, eles acabaram contratando Pierre Gasly, no qual mostrou grandes resultados durante sua carreira na Super Formula no Japão e Brendon Hartley, campeão com a Porsche LMP1 no WEC e  na agora tão falada 24 horas de Le Mans.

O piloto francês vem mostrando ótimos resultados e tudo indica que irá continuar na Toro Rosso em 2019. O que poderia mudar essa situação? Daniel Ricciardo! Caso ele mude para Ferrari ou Mercedes e a Renault pague bem por Carlos Sainz, o próximo piloto da lista para Red Bull seria ele mesmo, Gasly. Improvável? Talvez, mas a Red Bull já se mostrou várias vezes capaz de fazer o improvável.

Do outro lado, temos Brendon Hartley, um ótimo piloto de Endurance, no qual infelizmente vem mostrando pouco resultado se comparado à Pierre Gasly. Hemult Marko já mostrou insatisfação e já procurou pilotos da F2 para trocar de lugar. Porém, esse senhor já está tão queimado por destruir carreiras de pilotos, que ninguém da F2 gostaria de fazer parte da Scuderia Toro Rosso. Nome muito cogitado é de Lando Norris, porém a McLaren não irá ceder o jovem para ninguém.

Sauber

Talvez o carro mais bonito desse ano? Não esperávamos grande performance, mesmo com a chegada da Alfa-Romeo no time, porém o que o seu novato vem mostrando nas pistas, é de arrepiar!

Marcus Ericsson já está na Formula 1 há muitos anos, mas nunca mostrou absolutamente nada na pista, tendo já completado mais de 80 corridas, sua melhor posição foi oitavo na sua primeira corrida pela Sauber, lá em 2015. Com nomes melhores na equipe como Pascal Wherlein e até Felipe Nasr, que fizeram muito, mas MUITO mais na equipe, quem sempre ficou com a vaga, foi o pagante Marcus Ericsson. Não esperamos que ele saia dali tão cedo, apenas se o seu patrocinador cansar de bancar a festa.

Agora o que falar desse menino que mal conhecemos mas já consideremos pacas? Charles Leclerc vem mostrando que veio ao mundo para brilhar! Com melhor resultado, um sexto lugar em Baku, podemos esperar Charles saindo da Sauber no próximo ano. Seu lugar não seria na Ferrari, caso Kimi aposente, mas sim na Haas. A Ferrari poderia mover uns peões e colocar o Leclerc na Haas, um carro melhor para desenvolver o jovem piloto antes de colocá-lo em um dos cavalos rampantes. Quem teria que sair da Haas? Romain Grosjean! Não vem mostrando ser um piloto sólido, apesar da boa pontuação no Red Bull Ring, e também é uma pessoa de psicológico facilmente maleável e poderia dar lugar a alguém que iria usufruir melhor o monoposto da Haas.

Haas

A Haas é a equipe que mais surpreendeu no começo do ano, se mostrando muito rápida na pré-temporada e andando na frente de todos os carros do pelotão intermediário, até ter ambos carros fora do GP da Austrália por um erro nos pits. Esperavamos um próximo GP promissor, sem erros e com aquela performance ainda em ponta, porém tiveram muitos revés, muitas cenas tristes para então, fazerem o inesperado na Áustria, colocando ambos carros lá em cima.

O ex-queridinho da F1, Romain Grosjean não é mais aquilo tudo que era antigamente e talvez perca seu lugar para o futuro vencedor de taças douradas da Ferrari, Charles Leclerc. Sua carreira poderá terminar ou apenas correr pela Sauber.

Kevin Magnussen já teve seus altos e baixos mas está se mostrando um bom piloto e não duvidamos que continuará por alguns anos na F1, na Haas ou outra equipe intermediária. Em 2019 é Haas para o dinamarquês.

Williams

Temos até vergonha de falar sobre o presente estado de uma das equipes mais antigas e cheia de histórias da Formula 1. O que está acontecendo na Williams é algo triste que parece sem fim. Pilotos pagantes, sem resultados, sem dinheiro e sem patrocínio para 2019.

Lance Stroll é o jovem canadense que tem sorte de ter o pai que tem. Sabe quando você ganhava um Hot Wheels do seu pai? Lance ganhou alguns Formula 1 de verdade, para dar aquela acalmada após um dia chato. Brincadeiras à parte, Lance Stroll ano passado se mostrou um péssimo piloto, apesar de um pódio cair em seu colo. Esse ano no entanto, está levando susto de seu novo companheiro de equipe. Apesar disso, a Williams precisa do dinheiro que ele traz à mesa e Stroll continuará firme e forte na Williams.

Sergey Sirotkin é o mais novo piloto pagante da F1, apesar de ter pago sua entrada, tem mostrado resultados até que OK vindos de um carro nada OK. Irá continuar com a vaga da Williams por trazer um grande investimento por trás dele.