Carros da Galera – Conheça o Focus #71 para trackdays de Milton Rubinho

Falaí galera GearHead, hoje estamos postando mais um projeto do Carros da Galera! Além de nos aproximarmos de vocês, isso fará com que todos possam conhecer outros carros, ver diversos pontos de vista em cima do mesmo, despertar aquela paixão escondida meio renegada e até mesmo tirar aquela dúvida final, aquele detalhe que faltava para te animar na compra do veículo!

Lembramos que não queremos apenas os projetos mais absurdos, qualquer um pode participar, o foco aqui é na sua história com seu carro ou outros carros, queremos conhecer nossos leitores também! Hoje traremos para vocês a história de um manco infiltrado em track days. Um gastão igual seu amigo de Opala, mas que anda junto com seu amigo de Celtinha. Com vocês a história de Milton e seu Ford Focus Mk1.5 dicurrida.

Senhores, tudo bem? Meu nome é Milton Rubinho, tenho 34 anos, moro e trabalho em São Caetano do Sul-SP, trabalho com testes de motores na engenharia de uma grande montadora, e sou formado engenheiro.

Manco não deve ser apenas apelido

A carroça que eu trafego por ai é um conhecido de Interlagos: um Ford Focus GL 1.6 2008, conhecido por #71, Black Diamond, Manco e por ai vai.

Eu nasci, cresci e sempre morei em São Caetano do Sul. Sendo assim, a proximidade com as montadoras é enorme. Muito comum ter vizinhos e amigos da família que trabalhavam seja na VW, na Ford, na GM, na Scania ou na Mercedes Benz. Além disso, sabem aquele cara nerd que vivia com uma revista de carro eternamente na mochila, que só sabia brincar de carrinho e que via todas as corridas que pudesse? Esse cara era eu. Ou seja: sempre foi mais forte que eu…

Eu sonhava em ter um hatch médio/grande. Na época da escolha, eu tinha um Chevrolet Celta 1.0 MPFI (pouca coisa consegue ser mais lenta que isso), e eu estava decidido a comprar um Corsa 1.8 2004. Mas um amigo, chamado Davi Barion, me convenceu a dar o passo em direção ao Focus. Sendo assim, lá fui eu… E não me arrependo!

Sempre achei os Focus Mk1/Mk1.5 interessantes. Foi um carro que marcou época: Tinha suspensão traseira independente, uma dinâmica absurda de legal, foi carro de Rally pilotado por um ídolo meu (Colin McRae), e fazia estragos no NFSU 1. Ficava fácil de escolher assim!

Bom, tenho o carro desde 2013, e sempre pensei nele como um Track Weapon, mas que pudesse levar a mãe na feira. Sendo assim, desde o inicio, tudo o que fiz foi voltado a algumas melhorias em desempenho, a curar alguns problemas crônicos do veículo e a deixa-lo ao meu gosto e necessidade.

Vamos lá:

Motor: 1.6l Zetec Rocam com comando de válvulas SWR1, cabeçote preparado com maior taxa, molas de válvula mais duras, dutos e câmaras de combustão polidos. “Coletor de escapamento 4x2x1 em tubos de aço, tubulação em 2” com um abafador Silenpro e um original, sem catalisador. Bicos de injeção Bosch, filtro de ar esportivo ligado a um CAI, e tudo gerenciado por uma injeção Protune PR330 Full.

Suspensão: Molas Eibach Pro-Kit, Amortecedores SVT importados, camber plates dianteiros, barras estabilizadoras dianteira e traseira (traseira com buchas em P.U.) e barra superior dianteira.

Freios: Discos de 278 mm montados na dianteira com pinças de Ecosport, discos traseiros OEM do Focus Ghia, fluido de freio Pentosin Racing DOT 4, dutos de refrigeração na dianteira.

Transmissão: Relação OEM Focus, com diferencial de Fiesta 1.0, short shifter e base para aumentar a altura do trambulador.

Pneus/Rodas: Michelin XM2 195/55R16 calçando rodas OEM do Fiesta Titanium nacional.

Estética: Aerofólio do Focus XR, banco concha AMB, Volante MOMO Champion.

Eu gosto DEMAIS da dinâmica do carro. Já fiz peripécias que com outros carros até mais caros seriam impossíveis, e ele aceitou numa boa. Até em Track Day na terra ele já andou! Porém, tem consumo meio alto, além do que há muitas peças que estão ficando caras e raras… E o carro tem 10 anos!

Peripécias tipo parar o carro atravessado no meio da estrada?

Atualmente, anda junto ou até mesmo na frente de alguns 2.0. Faz 0-100km/h em 10 segundos e máxima de 203 km/h reais. E depois das modificações de freio, passou a ter o ultimo problema crônico, resolvido.

Já fui para alguns lugares legais com ele. Até onde eu me lembre, mais longe que fui, foi Barretos, por ter parentes lá. Nessas viagens, ele vai bem. Já tive alguns probleminhas em viagem, sorte que eu tinha seguro, então o guincho estava garantido. Um exemplo foi a vez que o alternador pifou próximo a Ribeirão Preto-SP. Mas no geral, é um carro confiável.

Isso sem contar algumas outras quebras, como por exemplo, um cambio dando problema 4 dias antes de um trackday…

Eu e o Focus, para muitos, somo uma coisa só. Esse carinha já foi até campeão do Torneio de Regularidade Interlagos em 2014, e vencedor na categoria dele no 1º Hot Lap Guaratinguetá! Acho que esses foram os maiores momentos dele. As quebras são os piores momentos, especialmente quando fiquei quebrando a cabeça para encontrar um dado defeito.

E… Além do apego pessoal, não compensa trocar esse veículo. Ford no Brasil desvaloriza demais, e devido a isso, e a todos os upgrades, a melhor coisa a se fazer é manter esse carro comigo. E desconfio que será assim por muito tempo…

Eu agradeço a equipe do AGH pela chance, e espero que todos curtam a historia! Grande abraço!

E por hoje foi só pessoal! Essa foi a história do Milton Rubinho e seu Focus dicurrida. E se você quer participar do Carros da Galera é só mandar um e-mail para contato@amigosgearheads.com.br. Lembrando que o carro da semana sempre será a capa do nosso Facebook. Esperamos que todos tenham gostado e semana que vem tem mais! Para ler sobre outros carros que participaram aqui do carros da galera, clique aqui.

Todas as informações aqui veiculadas são de total responsabilidade do autor das respostas e elas não necessariamente representarão a opinião do Amigos GearHeads.