Aston Martin põe V8 de 430 cv num carro de 3 metros que usava o motor do Etios

O título parece não bater, mas quando você ler tudo com certeza irá entender. Acontece que a Aston Martin vendia um subcompacto na Europa. Este subcompacto usava o motor do Etios, mas agora eles colocaram um V8 nele para fazer um exemplar especial. Complexo, né? Calma que vocês já vão entender.

O Cygnet é um dos carros mais controversos da marca britânica

Vendido entre 2011 e 2013, o Aston Martin Cygnet foi fruto de uma parceria entre a fabricante britânica e a japonesa Toyota. Com isso, a empresa que faz os carros do James Bond teria um carro compacto para diminuir seus índices de emissão de poluentes e a Toyota teria um representante de luxo do seu compacto iQ na Europa.

As lanternas diferenciam o Cygnet do iQ

O Cygnet nada mais é do que um Toyota iQ mais requintado. O acabamento é diferenciado, a grade frontal segue o clássico desenho da Aston e as lanternas eram diferentes, mas a motorização é a mesma: trata-se de um 1.3 quatro cilindros de 98 cv a 6.000 rpm e 12,54 kgfm a 4.400 rpm. Ao contrário do Smart, o motor é instalado na dianteira e a tração é nas rodas da frente. Com máxima de 170 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos, não dá para dizer que o subcompacto andava muito.

O interior era espartano para um Aston Martin, mas luxuoso para um Toyota

Uma curiosidade: este motor é o mesmo utilizado no nosso amado Etios. É o 1.3 1NR-FBE, que possui 72,5 mm de diâmetro dos cilindros e 80,5 mm de curso dos pistões, só que com uma calibração diferente voltada para a gasolina européia. De maneira associativa, podemos dizer que a Toyota do Brasil nos vende um pouco de Aston Martin a cada Etios que sai da concessionária. ¯\_(ツ)_/¯

O Cygnet V8 é uma criação… bizarra

A criação de hoje é proporcionada pela própria Aston Martin para o Festival de Goodwood deste ano. Trata-se do único Cygnet equipado com o V8 4.7 do Vantage S, que rende 436 cv a 7.300 rpm e 49,97 kgfm a 5.000 rpm. A transmissão é a Sportshift II de sete marchas.

E se você pensa que todo o conjunto foi instalado em posição central-traseira, está completamente engano. O bloco foi instalado no mesmo local onde ficava o pequeno 1.3 de origem nipônica, e mesmo assim a distribuição de peso é de 50/50.

O V8 está na dianteira do subcompacto, mas ainda assim a distribuição de peso ficou em 50/50

Para toda essa força chegar ao asfalto os para-lamas foram alargados para receber pneus maiores, estes que calçam rodas de 19 polegadas.

O interior recebeu instrumentação do Vantage S

As comparações com o cupê são inevitáveis. Se o subcompacto agora tem 1.375 kg, o cupê tem seus 1.685 kg. O 0 a 100 km/h é cumprido no Cygnet em apenas 4,2 segundos, contra 4,6 segundos no Vantage S. E, para fechar, a máxima é de 274 km/h no pequeno inglês, enquanto que o grande esportivo chega aos 304 km/h.

As bitolas foram alargadas para encobrir as rodas de 19 polegadas

No fim das contas não sei o que mais surpreende, se é a Aston Martin colocar um V8 num hatch de 3 metros, ou a Aston Martin ter vendido um carro de 3 metros.