Em nome de Ayrton

A novíssima McLaren Senna é praticamente uma irmã mais nova da excelente 720S, com um acerto fino conduzido pelos técnicos e engenheiros em Woking, que melhoraram o que já era bom, para algo ainda melhor. A McLaren Senna é capaz de devorar qualquer traçado à sua frente de forma assustadora assim como o inesquecível piloto em que esse carro recebeu o nome; Ayrton Senna. Uma lenda da Formula1, o mais rápido dentro das pistas e o mais amado pelo público, agora recebe a consagração histórica definitiva graças à McLaren Senna.

A Senna herdou o V8 de 4 litros da 720S (e de todas as outras McLaren’s atuais), porém com uma potência elevada em 80 cavalos. Aqui não temos nada de híbrido, apenas o motor térmico atuando, ao contrário da McLaren P1, que usufruía de baterias para aumentar o desempenho. Acelerar a nova Senna de 0 à 100 km/h levam apenas 2,8 segundos e ela vai até 340 km/h. Isto é graças ao seu peso-pena, com apenas 1.198 kg, é mais leve que um popular e um dos hiper carros mais leves que existem, em par com os lendários carros dos anos 80 e 90, onde as regras de hoje em dia não existiam e fazer um carro mais leve era muito mais fácil que hoje com todas as obrigatoriedades de segurança.

Toda essa potência é controlada por uma embreagem dupla de 7 velocidades que enviam toda potência para as rodas traseiras. Para segurar tudo isso, são usados freios de carbono-cerâmica nas quatro rodas e calçando pneus Pirelli P Zero Corsa. O piloto (para levar ao limite um carro desses, não basta ter uma carteira de habilitação) conta com três opções para domar a fera; Comfort, Sport e Track, podendo controlar a exuberância do carro em estradas molhadas, no dia-a-dia ou deixá-lo livre, leve e solto nas pistas.

A nova McLaren Senna faz parte do Ultimate Series, na qual foi precedido pela McLaren P1, lançada em 2013. A P1 combinava um motor térmico com um elétrico, permitindo que o carro superasse os 900 cavalos. No entanto, a briga da McLaren agora não é com potência e sim com peso. Em comparação com a antecessora, a McLaren Senna emagreceu e muito(a P1 pesa 1.500 kg). A origem dessa nobre linhagem Inglesa foi a famosa McLaren F1, uma obra-prima sobre rodas, projetada por Gordon Murray na década de 1990. Na época, esse era o carro de rua mais rápido já feito, com um motor V12 aspirado da BMW, no qual entregava pacatos 670 cavalos para o mundo atual. Porém, seu peso eram de apenas 1.100 kg, no qual fazia seu desempenho ser acima da média até para os níveis modernos. O que também fez a F1 ser o que é hoje, foi a decisão de colocar o assento do motorista no centro do veículo, seguidos de passageiros em ambos lados, tendo três assentos ao invés de dois.

Apenas 500 McLaren Sennas serão produzidas no total, e quem já dirigiu, diz que Ayrton teria muito orgulho do trabalho feito pela sua amada McLaren.

Fonte: Pirelli