O fim de uma era: Punto sai de linha na Itália

É com muito pesar que um ícone italiano se despede da linha de produção. A fábrica de Melfi encerrou, no dia 25 de Julho, a produção do FIAT Grande Punto (como é chamado na Itália). A decisão é motivada por eles, os carros mais amados e mais odiados de todos os tempos, os SUV’s.

Punto Abarth, o modelo que nunca tivemos

Após se tornar FCA, a estratégia da FIAT está focada em produzir carros mais atraentes e gerar mais lucros. E, apesar de algumas fabricantes ainda fabricarem carros de verdade, a FIAT achou melhor descontinuar sua linha de veículos pequenos em prol dos SUV’s. O único que sobrou foi o 500, e aí temos 500 Abarth e 500X por exemplo.

O Punto de primeira geração teve uma versão conversível feita pela Bertone, semelhante ao que aconteceu com o Kadett GSi

Em 2016 foram apenas 61.500 unidades produzidas, contra mais de 340 mil em 2006. Em 1995, ainda na sua primeira geração, vendeu mais de 665 mil unidades. Mas apesar das vendas em baixa o Punto conseguiu ser tão grande quanto o Uno, entrando para o hall de clássicos da FIAT.

A segunda geração era até bonita, mas depois teve um facelift… pesquisem por conta própria.

No Brasil o modelo chegou em 2007, apenas um ano após seu lançamento na Europa. Vendeu acima das 30 mil unidades anuais até 2012, quando começou a cair. Em 2016, quando saiu de linha por aqui, a FIAT vendeu apenas 7.709 carros. O seu sucessor, o Argo, vende bem, mas não tem o mesmo carisma.

Desenho atemporal marca o Punto de 2006

O Punto de terceira geração é um dos carros símbolo dos anos 2000. A linha de cintura alta, os faróis espichados e as icônicas lanternas ao lado do vidro traseiro são traços que acompanharam o modelo desde sua primeira variante, em 1993. Giugiaro estava inspirado quando o desenhou, disso podemos ter certeza.