Volkswagen cogita vender pick-up monobloco maior que Amarok

Visando o mercado norte-americano, a Volkswagen estuda vender uma caminhonete para concorrer com Ford F-150, Chevrolet Silverado e Dodge RAM 1500. Este é um segmento que, nos EUA, nunca esteve em baixa e provavelmente nunca estará, mas os estadunidenses são bem nacionalistas quanto a compra de uma pick-up.

Porte ela tem, falta saber quanto a robustez

Apresentado no Salão de Nova York e medindo 5,43m contra 5,25m da Amarok, o conceito Atlas Tanoak chamou a atenção pela dianteira iluminada e o porte gigantesco. Apesar disso a caminhonete surgiu da plataforma MQB, a mesma do Golf (impressionante), e tem visual parecido com o do SUV Atlas.

A assinatura visual é marcante

Se na época a reação de Hinrich Woebcken, CEO da VW América do Norte, era de recusa, parece que agora a produção do modelo é cogitada pelos alemães. “A Atlas Tanoak se encaixa bem na marca, porque nós queremos mais clientes nos EUA”, disse o CEO.

Detalhe para o repetidor da seta no para-lama

A robustez é um dos principais fatores que fazem Ford, GM e Dodge venderem tanto, isto porque elas são construídas utilizando a estrutura de chassi montado sobre o monobloco, ideal para veículos de trabalho que carregam muito peso. Basicamente, todas as pick-ups vendidas por aqui utilizam essa construção, com exceção das pequenas Strada e Saveiro, e das intermediárias Toro e Oroch.

Interior dispõe da identidade visual da VW atual, mas com alguns toques futuristas

Em contrapartida o conforto em situações de caçamba vazia é comprometido, fazendo a suspensão por feixe de mola quicar em terrenos mais acidentados. Existem exceções, como a Nissan Frontier que usa suspensão traseira independente, e a própria VW Amarok que é considerada por muitos como um sedã com caçamba devido seu acerto macio de suspensão.

Atlas é o SUV que dá origem ao Atlas Tanoak

O conceito usa o mesmo trem de força do Atlas SUV, isto é, um 3.6 VR6 de injeção direta de gasolina produzindo 276 cv a 6.200 rpm e 37,4 kgfm a 2.750 rpm, e transmissão automática de 8 marchas com tração integral 4Motion. Será que o americano abrirá mão da tradição para arriscar num modelo de concepções diferenciadas?

Fonte.