Retrô e moderno – Novo conceito Peugeot e-Legend

A Peugeot irá levar para o Salão do Automóvel de Paris (casa sua) de 2018 o conceito e-Legend; um coupé elétrico, autônomo e que invoca os traços do icônico 504 coupé.

O e-Legend, é um conceito retro futurístico com designs mesclando o 504 Coupé com linhas e elementos mais tradicionais para nossa época e mostrando o que a Peugeot tem em mente para o futuro. O perfil do carro é formado basicamente por caixas empilhadas como qualquer desenho infantil, não que isso seja ruim, pois o resultado é formidável.

O veículo usa um motor elétrico com baterias de 100 kWh nos quais entregam 800 Nm de torque e potência de 455 cavalos distribuídos para as quatro rodas. Com esse desempenho, o 0 a 100 km/h chega em menos de 4 segundos e é capaz de alcançar uma velocidade máxima de 220 km/h. Autonomia é de 600 km e conta com recarga rápida de 25 minutos para 500 km de carga.

Carregador por indução

O veículo conta com amplas superfícies de vidro, no qual deixam o habitáculo bastante luminoso, com colunas bem finas para o que temos no mercado hoje.

As dimensões do Peugeot e-Legend são (em mm):

  • Comprimento: 4650;
  • Largura: 1930;
  • Altura: 1370;
  • Entre-eixos: 2690.
  • As rodas são compostas por aros de 19 polegadas.
O interior retrô conta com muita tecnologia para ser minimalista

A máscara dianteira está totalmente embutida nos para-lamas dianteiros e é cortada ao meio por uma viga em alumínio preto, herança dos para-choques de aço cromado. Na traseira, a assinatura visual também ostenta três garras e recebe um tratamento altamente tecnológico como na dianteira. A terceira luz de freio, localizada no alto do vidro traseiro, se estende por todo o comprimento e reflete um conjunto de múltiplas lâminas. As laterais têm três camadas distintas, incluindo uma área envidraçada inspirada nas proporções entre lataria e vidro do Peugeot 504 Coupé.

Visível a partir do exterior sob a barra lateral traseira, uma mensagem de boas-vindas personalizada aparece na tela, bem como o nível da carga. Há também uma mensagem avisando as pessoas do lado de fora que o carro funciona em modo autônomo.

Para obter um espaço interno refinado, os designers optaram por materiais calorosos, contrabalanceando a frieza do meio digital: um contraponto à corrida desenfreada do “todo-digital”. O veludo está de volta, escolhido por seu toque sedoso e por ser um material bastante usado antigamente, o veludo de seda foi misturado com uma malha técnica moderna que oferece mais
possibilidades em termos de confecção.

A Peugeot não está de brincadeira e está trazendo toda sua artilharia para o próximo Salão de Paris. Podemos esperar muito mais dos franceses.