Executar ordem 66: a volta das ordens de equipe? – Pitacos F1

O GP da Rússia foi muito mais do mesmo, desde 2014 que só a Mercedes vence e nunca tivemos nenhuma corrida que nos fizesse suspirar de emoção. O ataque da Ferrari que parecia ter acordado para a vida no primeiro treino livre não passou de um falso positivo e logo no segundo treino livre a Mercedes colocou ordem na casa e dominou todo o resto do final de semana.

Mas se a corrida foi morna, alguns pontos foram muito interessantes, como por exemplo a corrida de Max Verstappen que largou da décima nona posição e em poucas voltas já estava na quinta posição e liderou a corrida durante 24 voltas depois que os ponteiros pararam e se não fosse obrigatório, ele iria com certeza com aqueles pneus até o fim da corrida e conseguiria pois o ritmo que ele vinha mantendo era praticamente igual aos dos carros que tinham pneus em teoria mais novos, mesmo assim, quando parou manteve a quinta posição e só não partiu para cima atrás de resultados melhores pois preferiu poupar seu motor para as próximas etapas.

Outro piloto que merece muito destaque também é Charles Leclerc, o monegasco fez uma largada maravilhosa e uma linda ultrapassagem em cima de Magnussen que foi coisa de gente grande e acabou terminando a corrida na sétima posição, mais conhecida como “melhor do resto” e sequer foi atacado em nenhum momento por quem vinha atrás dele. Foi um grande final de semana para o futuro piloto da Ferrari que além de ter conseguido ir para o Q3 (aliás, ambos os carros da Sauber foram para o Q3) fez uma corrida limpa e também foi o único piloto que terminou a corrida na mesma volta dos líderes.

A Ferrari que necessitava se recuperar ficou extremamente atrás, parece até que estavam com o carro do ano passado e o carro que parecia finalmente ter batido as Mercedes, não parece mais o mesmo. A Ferrari quase conseguiu um undercut em Hamilton na hora do pit stop e acredito que se a Mercedes não esperava por isso a Ferrari também não, a jogada foi de tanta sorte que Hamilton não demorou muito para ultrapassar Vettel em uma tentativa que falhou de primeiro mas deu muito certo na segunda vez.

Agora a polêmica, claro que é inevitável falar sobre ela, a troca de posições entre Bottas e Hamilton é um assunto para muita discussão, ainda mais em um campeonato que esta praticamente encaminhado tanto para a equipe quanto para o piloto, porém temos que analisar e entender os motivos que levaram a Mercedes a isso. Primeiro, se o Hamilton terminasse em segundo com Vettel em terceiro, a diferença entre eles aumentaria de 40 para 43 pontos, já entregando a vitória para Hamilton a diferença subiu para 50 pontos, foram 7 pontos a mais em um campeonato que vem sendo disputado ponto a ponto. Imaginemos por exemplo que o Hamilton tenha um baita azar tanto no Japão quanto Estados Unidos e abandone as duas corridas sem pontuar, com esses 7 pontos a mais (e supondo que o Vettel vença as duas corridas) eles ficariam empatados (já que neste caso Vettel faria 50 pontos) e assim Hamilton não ficaria 7 pontos atrás.

É uma discussão complicada, polêmica e porque não pesada afinal há quem defenda as ordens de equipe e há quem crucifique, porém temos que lembrar que a Fórmula 1 é um campeonato primeiro de equipes e depois de pilotos e o piloto que esta na frente (no campeonato) sempre terá a preferencia e está sendo bem legal acompanhar a discussão de jornais e especialistas em todos os tipos de mídia, muitos defendendo e muitos criticando, o que mostra que a conferencia de imprensa no Japão vai ser bem tensa.

Diferente da Mercedes a Force India também entregou um certo jogo de equipe, quando em tentativa de não perder posições para Hulkenberg e tentar ultrapassar Magnussen, ordenou uma troca em seus pilotos, primeiro deu a chance a Ocon, avisando que ele teria 3 voltas para passar, como não conseguiu deixaram Perez passar e tentar e também em 5 voltas não conseguiu e nas voltas finais ordenaram que trocassem novamente de posição.

Para finalizar, falo da Renault que simplesmente desapareceu na corrida, Hulkenberg estava tentando ultrapassar as Force India no pit stop e não conseguiu e Sainz tomou duas voltas do líder e ainda terminou atrás de Lance Stroll. Tomara que eles tenham parado de desenvolver o carro desse ano para focar em 2019, porque se não Daniel Ricciardo pode ter entrado em uma bela furada.

E não deixe de nos acompanhar no Youtbe, onde também mandamos nossas análises pré e pós GP.