Nasce categoria exclusiva para mulheres – W Series: Uma iniciativa importante

O automobilimos acaba de ganhar um novo campeonato de monoposto. A W Series anuncia hoje (10) uma novíssima série de automobilismo de monoposto para pilotos mulheres apenas, e tem como grande atrativo um prêmio de US$ 1,5 milhão.

A temporada inaugural da Série W começará na primavera de 2019 e abrangerá uma série de corridas disputadas em alguns dos melhores e mais famosos circuitos da Europa, a maioria dos quais já organizou corridas de Fórmula 1 por muitas décadas. Nas próximas temporadas, o cronograma da W Series também deve incluir corridas na América, Ásia e Austrália.

Para Catherine Bond Muir: “Tendo sido uma advogada esportiva e financeira fiquei ocupada pelos primeiros 25 anos de minha carreira, tive meu primeiro bebê aos 45 anos e, enquanto tirava um longo período de licença maternidade, comecei a desenvolver o conceito da W Series enquanto estava em casa. Quase três anos depois, é extremamente emocionante finalmente poder anunciar publicamente a inauguração da W Series. Há poucas mulheres competindo em séries de monopostos no momento. A série W aumentará esse número de forma muito significativa em 2019, liberando poderosamente o potencial de muitos pilotos de corrida femininos. Os pilotos da série W se tornarão superstars globais – modelos inspiradores para mulheres em todos os lugares – e todas as organizações, empresas, patrocinadores e todas as pessoas que ajudarem os vencedores e campeões da W Series a alcançarem esses sucessos inovadores poderão celebrar seu papel nele, publicamente, a aclamação mundial duradoura. A W Series é uma inovação inspiradora cuja hora é agora.”

Os carros da W Series serão os Fórmula 3, e vão competir já com o Halo, introduzido na F1 em 2018, e contará com um grid que deve variar entre 18 e 20 carros.

Todos os pilotos que quiserem particiar, terão que passar em um rigoroso programa de pré-seleção, envolvendo testes em pista, avaliação de simulador, testes de engenharia técnica, testes de condicionamento físico etc. Os candidatos aprovados receberão um programa de treinamento completo centralizado em técnicas de direção, exposição em simulador, abordagens técnicas de engenharia, condicionamento físico, habilidades de mídia, tudo isso realizado por um grupo de especialistas com décadas de experiência na Fórmula 1, meticulosamente recrutados para o objetivo: David Coulthard (ex-piloto e vencedor de várias corridas de F1); Adrian Newey (o mais bem-sucedido engenheiro-chefe de design na história moderna da Fórmula 1); Dave Ryan (40 anos de experiência na Fórmula 1 em gerenciamento de equipes com as equipes de Fórmula 1 da McLaren e Manor, além de ter dirigido sua própria equipe de corrida GT Von Ryan); Matt Bishop (15 anos de experiência como jornalista e editor na Fórmula 1, seguido por 10 anos de experiência liderando as operações de comunicação, conteúdo, mídia e RP da McLaren na Fórmula 1).

David Coulthard disse: “Para ser um piloto de corridas bem-sucedido, você precisa ser habilidoso, determinado, competitivo, corajoso e fisicamente apto, mas não precisa ter os níveis de força superpoderosos exigidos por alguns esportes. Você também não precisa ser homem. É por isso que nós da W Series acreditamos firmemente que pilotos de corrida femininos e masculinos podem competir uns com os outros em igualdade de condições, dando as mesmas oportunidades. No momento, no entanto, as mulheres pilotos tendem a alcançar um ‘teto de vidro’ em torno do nível GP3 / Fórmula 3 em sua curva de aprendizado, muitas vezes como resultado da falta de financiamento e não da falta de talento. É por isso que é necessária uma nova categoria de monopostos para estabelecer um habitat competitivo e construtivo de automobilismo no qual nossos pilotos poderão se equipar com o conjunto de habilidades necessárias para seguir em frente. até as atuais séries de corridas tradicionais de alto nível e competir com os melhores pilotos masculinos em igualdade de condições. ”

No coração do DNA da W Series está a crença firme de que as mulheres podem competir igualmente com os homens no automobilismo. No entanto, uma categoria exclusivamente feminina é essencial para ajudar a a crescer a participação das mulheres no automobilismo. A W Series é, portanto, uma competição voltada para missões, cujo objetivo não é apenas proporcionar corridas emocionantes para os espectadores, mas também equipar seus pilotos com a experiência e o conhecimento com os quais eles podem progredir em suas carreiras e aperfeiçoar suas habilidades antes de evoluir para outras categorias como a Fórmula 1.

Adrian Newey também está apoiando com bastante força essa nova categoria: “Tendo trabalhado no automobilismo internacional por mais de 30 anos, e tendo assistido de perto a alguns dos maiores pilotos de corrida de todos os tempos – incluindo vários campeões mundiais de Fórmula 1 – eu tenho uma compreensão razoável de pilotos topo de linha. Com treinamento adequado, as mulheres são fisicamente fortes o suficiente para competir em todos os níveis. A razão pela qual tão poucas mulheres até agora correram com sucesso nos níveis mais altos contra os homens, pode no entanto, ser uma falta de oportunidade e não uma falta de capacidade. E é por isso que estou muito contente por estar envolvido na W Series, contribuir para criar uma plataforma na qual as mulheres motoristas possam melhorar competindo umas com as outras e a partir das quais elas podem avançar em suas carreiras e, sim, F1.

A W Series será uma categoria focada apenas em bons pilotos e por isso será livre de “pilotos pagantes” e para ajudar na carreira delas, prêmio significativos serão concedidos. A vencedora da categoria receberá um prêmio de US$ 500,000 e serão distribuídos prêmios em dinheiro para até o 18º colocado na classificação final do campeonato.

Dave Ryan disse: “A W Series dará a mais mulheres pilotos de corridas uma experiência crucial em carros relevantes em circuitos relevantes, para que possam aprender não apenas como ser rápidos, mas também como vencer, para ajudá-las a progredir em suas carreiras além dos níveis tradicionalmente alcançados. M do que isso, porém, queremos que a W Series seja um catalisador de mudanças positivas para todas as mulheres no automobilismo. Queremos que a W Series incentive mais meninas e mulheres jovens a estudarem disciplinas STEM (ciências, tecnologia, engenharia e matemática) em escolas, faculdades e universidades, a fim de construir carreiras recompensadoras como mecânicos de corrida, técnicos, engenheiros, aerodinâmicos e assim por diante. “

O British Racing & Sports Car Club (BRSCC) foi nomeado pela W Series como o clube organizador da categoria, ajudando na divulgação e também na definição do livro de regras.