As crônicas de gelo e fogo, A volta de Kimi Raikkonen ao maior lugar do pódio – Pitacos F1

Chamar a vitória de Raikkonen como uma espécie de redenção ou ressurreição do finlandês é um tanto quanto um exagero, mas foi uma bela vitória e Kimi merecia a tempos uma vencer pelo time italiano, fosse no GP de Mônaco de 2017 ou mesmo em Monza agora em 2018. Quando necessário ele consegue mostrar velocidade, consistência e uma experiência de um piloto de extremo alto nível, o único problema é que essas performances dele são raras.

Mas nada tira o mérito que de Raikkonen teve uma vitória MAIÚSCULA, com uma performance perfeita, um controle e consumo do carro que somente pilotos experientes conseguem. Kimi fez uma ótima largada e se posicionou muito bem a frente de Hamilton e quando a Mercedes mudou a estratégia parando mais cedo eu confesso que pensei que a Ferrari tinha perdido ali a corrida, mas tanto a Ferrari quanto Raikkonen manteram a calma e a estratégia de paradas para vencer com um final de corrida maravilhoso.

Em certo momento a corrida até que ficou um pouco sem graça e sem muita ação, mas mesmo assim, foi uma das poucas corridas em que o pelotão intermediário praticamente não foi mostrado e a turma do fundão só aparecia quando Vettel, que rodou ainda na primeira volta em uma disputa por posição com Ricciardo, ultrapassava alguém e mesmo assim não era dada tanta atenção.

Vettel que pelo jeito partiu para um tudo ou nada meio suicida neste final de temporada, parece que ele já percebeu que o título de 2018 não será dele e a sequencia de erros dele mostra bem isso. Vettel tem sido muito afoito e arriscando ultrapassagens um pouco desnecessárias, a maneira como arriscou para cima de Ricciardo ainda na primeira volta com pneus frios mostra que Vettel pode estar se sentindo pressionado e acabou correndo um risco desnecessário em uma corrida que poderia ter ganhado.

Bonito também foi a disputa entre Hamilton e Verstappen, onde mesmo com uma defesa muito agressiva Verstappen foi muito limpo e estava se defendendo ao mesmo tempo em que tentava atacar Raikkonen pela vitória e Max praticamente forçou Hamilton a um raro erro que pode ser perdoado por uma pista suja e que não favoreceu o piloto inglês.

Mas nem tudo foi legal de se ver em Austin e a corrida de Bottas é um exemplo disso, o finlandês teve um final de semana completamente apagado e ainda ao final da corrida perdeu a posição para Vettel que nem precisou se esforçar muito para ultrapassar. O nórdico que foi contratado as pressas para assumir o segundo carro da Mercedes em 2017 vem tendo uma atuação muito fraca em 2018 e deve fazer a Mercedes se arrepender de ter renovado o contrato com ele ao invés de chamar Ocon para o time.