Não é uma Surpresa

Não é e nem vai ser uma surpresa. No meu último texto sobre NASCAR aqui, eu falei que o futuro tinha chegado. O Kansas veio e gritou “O Jeff está certo!”. Mas não pense mais no Kansas, pense em Martinsville, e uma das provas mais emocionantes, icônicas e polêmicas da NASCAR.

Primeiro, sobre eliminados e classificados: A queda de Keselowski me assusta. Em um momento em quem Bad Brad subia, ganhou corridas em seguida e mostrava força, ele literalmente foi engolido. Engolido por uma Stewart-Haas dominante e por um Logano tão cerebral quanto sem graça. Se pensar bem, a sua vaga hoje é do quarto carro SHR, Almirola.

Que é tão chato, tão sem graça, tão logano que… classificou.  Lógico que é maneiro ver um piloto diferente ganhar, e Talladega está aí para isso, mas precisa ser tão morno? Em contra ponto a falta de graça do menino dos bacon´s, Elliott se consolida e mostra personalidade.

Buschinho é o mesmo personagem de sempre e chegou a hora de mostrar algo diferente. Não que seu repertório não seja vasto e eficiente, mas a fatalidade diminuiu. Jogos mentais, trash talk ou simplesmente vitória ou muro, Kyle tem que tentar algo novo. Para Harvick, o Kansas foi um pecado. A prova era dele. A copa? Não sei. Ou ele tem um carro totalmente dominante e transformador de corridas em sono nos domingos a tarde, ou sofre para chegar no top 5. Não dá para ser campeão assim.

Truex Jr caiu e não se sabe se é culpa dele, da Toyota ou da finada Furniture Row. Bowyer e até competente, mas se for ao ultimo round é porque a terra está girando ao contrário. E Buschão não faz ideia do que está fazendo ali.

Agora sobre Martinsville:  Os velhos favoritos se aposentaram ou caíram. Bowyer ganhou lá mas não consigo colocar crédito nele. Cara legal. Obviamente os favoritos são Kyle Busch e Kevin Harvick, mas o momento é tão controverso que é mais provável que alguém fora dos playoffs ganhe. Bumps, trocas de linhas e zero erros nos pit stops são regras caso queira ter um bom resultado.

E cabe aos postulantes restantes parcimônia. É até estranho falar isso, mas é o inicio de um novo round. Uma vitória garante, mas um abandono praticamente é um nocaute. Talvez a tática Logano não seja tão ruim assim…

Escute nosso podcast de Automobilismo:

AGH BarbaCast 07 – Podcast do AGH!