O Volkswagen T-Cross finalmente foi anunciado

Após muito mistério, o primeiro SUV compacto da marca foi apresentado no Brasil nesta quinta-feira (25) em simultâneo com outros países. O T-Cross, como é chamado, tem motores 1.0 e 1.4 TSI, e se alia à modernidade para poder abocanhar parte do segmento dominado por Nissan Kicks, Honda HR-V e Hyundai Creta.

Esse é o novo lançamento da Volkswagen

Apesar de ser o menor da categoria, com apenas 4,20 metros de comprimento, o SUV da Volkswagen é o que possui o maior entre-eixos. São 2,65 metros, que vencem com uma margem considerável os 2,61 metros de Kicks e HR-V, os mais espaçosos até então. Apesar disso, o porta-malas não sofreu tanto: pode ir de 373 até 420 litros a depender da regulagem do banco traseiro.

Baseado no Polo mas com ressalvas: o que está em laranja é exclusivo do T-Cross.

Esse tamanho todo se deve às mudanças realizadas para o modelo nacional. O T-Cross brasileiro é 9 mm mais alto que o europeu, tem barra estabilizadora mais grossa e um eixo traseiro mais rígido, dentre outras várias modificações.

Lanternas do modelo nacional são diferentes do europeu

Mas essa nacionalizada no produto também gerou simplificações, a maioria de acabamento. O interior segue como o do Polo e Virtus, muito bem encaixado mas relativamente pobre. As lanternas também são mais simples que as do europeu e os para-choques são maiores e tem esquema de cores um pouco diferente do modelo produzido na Alemanha.

Seguro: vem com seis airbags em todas as versões

A arquitetura MQB baseada no Polo traz níveis de segurança e rigidez que já conhecemos e agradam bastante. Mas, além disso, todo T-Cross virá de fábrica com seis airbags (sendo dois frontais, dois laterais e dois de cortina), controle de estabilidade e freios a disco nas 4 rodas.

Interior da versão Highline é bastante completo

A versão de topo é a Highline, que contará ainda com ar-condicionado digital com saídas de ar para a fila de trás, conjunto ótico em LED, teto solar panorâmico, rodas de 16 polegadas, sistema de som da Beats, quatro entradas USB, modos de condução selecionáveis, assistente de estacionamento, start stop (apenas no 1.4), sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, partida no botão e alerta de fadiga do motorista. A central multimídia de 8 polegadas, o painel 100% digital Virtual Cockpit e as rodas de 17 polegadas são opcionais.

O teto solar é bem grandinho, diga-se

Os motores já são conhecidos na linha VW. O 1.0 TSI rende 128 cv a 5.500 rpm e 20,4 kgfm a 2.000 rpm, enquanto que o 1.4 TSI produz 150 cv a 5.000 rpm e 25,5 kgfm a 1.500 rpm. As duas motorizações são casadas com o também familiar câmbio automático de seis marchas. Provavelmente não haverá opção de câmbio manual e até entendemos, mas choramos no banho. Uma versão 1.6 aspirada para exportação está nos planos.

Frente bem agressiva toma emprestada a identidade do Jetta 2019

As vendas iniciam entre abril e maio de 2019, mas nada mais foi revelado. O presidente da Volkswagen na América do Sul, Pablo Di Si, ainda brincou “novidades só daqui a duas semanas, no salão”, se referindo ao Salão do Automóvel. A expectativa de preço é que o T-Cross comece em R$ 80 mil e termine em R$ 110 mil.