Caoa está negociando a compra da Ford Caminhões

O fechamento da fábrica da Ford Caminhões em São Bernardo do Campo parece não ter sido em vão. E no fim do texto vocês irão entender. O importante para agora é que o Grupo Caoa tem interesse nessa planta, atuando em um mercado não tão desconhecido para eles.

Para a Ford, atualmente focada em SUV’s e alguns poucos carros de passeio, manter uma linha de produção custosa no Brasil não é tão vantajoso, já que seus maiores dividendos estão nos Estados Unidos e Europa. Ao contrário do Grupo Caoa, que já olha para nosso país com bastante atenção há alguns anos e fez negócios estratégicos por aqui, como a criação da Hyundai Brasil e a compra da Chery.

O Hyundai Xcient P440 é um cavalo mecânico cotado para ser produzido no Brasil

Engana-se quem pensa que o interesse da Caoa é em manter a linha de caminhões da Ford no Brasil. Alguns modelos leves poderão se manter, mas o objetivo aqui é aproveitar a planta da Ford Caminhões para produzir os cavalos mecânicos da Hyundai, como o P440.

O HR, caminhão leve da marca, já é um sucesso de vendas no Brasil

A presença dos caminhões Hyundai no Brasil é um passo até que previsível: o modelo HR já é vendido por aqui e o mercado aceitou bem a presença do caminhãozinho coreano, sem falar nos pesados Xcient já vendidos no Paraguai e Uruguai (países em que o Brasil tem acordos de livre comércio).

É interessante notar a vitalidade do Grupo Caoa e de seu gestor, o médico (!) Carlos Alberto de Oliveira Andrade, um senhor de já 80 anos que não ficou satisfeito em trazer Renault e Hyundai para o Brasil, assim como criou relações com Subaru e Ford.

Linha Cargo tinha quase 15% do mercado nacional, mas carecia de atualizações

Na visão de especialistas, o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo foi a melhor decisão da Ford. Com maquinário ultrapassado e modelos que já estavam a beira de uma atualização, repassar esse problema pra frente foi a melhor solução. Já a Caoa aproveita o que irá receber da Ford para dar manutenção em seus caminhões, venderá os modelos menores da marca americana e ainda expandirá o raio de atuação dos veículos pesados da Hyundai. Nessa aí parece que todo mundo sairá ganhando.